10 erros críticos de RH na atração e retenção de talentos

10 erros críticos de RH na atração e retenção de talentos

Ter uma boa atração e retenção de talentos é um dos fatores que constituem uma empresa de sucesso. Por isso, é um dos assuntos que preocupam os profissionais de RH, que precisam estar sempre atentos às novas estratégias e soluções do mercado. Contudo, ainda existem muitas empresas que cometem erros nesse processo e acabam sofrendo prejuízos a longo prazo, como as altas taxas de turnover, desmotivação da equipe, dentre outros.

A verdade é que muitos gestores não dão a devida importância a esses fatores e mesmo sem perceber, impedem a empresa de ter um bom crescimento. Há também aqueles que dão importância, mas cometem alguns erros críticos durante a gestão. É exatamente isso que iremos abordar neste artigo: os 10 erros críticos de RH na atração e retenção de talentos. Continue acompanhando a leitura!

A importância da atração e retenção de talentos

Não há dúvidas que para ter bons profissionais em sua empresa é preciso ter uma boa atração de talentos. Essa é uma das rotinas fundamentais para a estratégia do negócio. Com os profissionais ideais, fatores como produtividade e qualidade são elevados e impactam positivamente os resultados. 

O processo de atração tem grande impacto em outra rotina essencial do RH: a retenção de talentos. Quando há uma atenção redobrada em alcançar bons profissionais do mercado, que se encaixem no perfil e cultura da empresa, as chances deles permanecerem trabalhando na organização por mais tempo é muito maior. Além disso, contratações erradas geram muitos prejuízos para as organizações, seja em relação a tempo, custos, problemas internos ou outros fatores.

Portanto, os dois processos devem ser valorizados pelo RH e por toda a empresa, pois podem trazer muitas vantagens e benefícios para o negócio. 

10 erros críticos de RH na atração e retenção de talentos

Veja agora os erros mais críticos que o RH das empresas costuma cometer no processo de atração e retenção de talentos:

1. Não ter uma política de benefícios atrativa

O pacote de benefícios é um dos principais fatores considerados pelos profissionais do mercado atual. Por isso, não ter boas opções é um dos erros cometidos pelas empresas que desejam atrair e reter talentos. É preciso pensar se eles são realmente atrativos, se encaixam no perfil dos colaboradores da empresa e o que é mais valorizado pelo seu público. 

Faça uma pesquisa criteriosa e aprofundada para descobrir o que os colaboradores desejam ter como benefício, o que o mercado está oferecendo e o quanto a empresa pode investir. Lembre-se sempre de analisar a satisfação para saber quando é a hora certa de trocá-los ou aprimorá-los.

2. Ter um programa de treinamento mal-estruturado

O treinamento e desenvolvimento é uma área importante para o crescimento do negócio. Contudo, se ele for mal estruturado, os resultados não irão aparecer. Além disso, ele não terá efeito na retenção de talentos, pois o profissional perde o interesse e não fica satisfeito com os temas ofertados. Algumas empresas não possuem critérios estratégicos, o que deixa esse processo sem um direcionamento, ou seja, os líderes não entendem quais são as reais necessidades da equipe.

Para oferecer um bom programa de capacitação e melhorar o desempenho dos colaboradores, é preciso analisar os indicadores, as dificuldades, fazer um acompanhamento personalizado e sempre estabelecer metas para colocar em ação aquilo que foi aprendido. 

3. Estabelecer metas inalcançáveis 

Quando as metas propostas são alcançadas, os profissionais se sentem mais motivados e empenhados com o seu trabalho. Definir metas, sejam individuais ou coletivas, é importante para dar senso de propósito aos colaboradores, fator que melhora a retenção de talentos. Contudo, existem empresas que estabelecem metas inalcançáveis e com alto nível de dificuldade. Com isso, os funcionários não são estimulados e não conseguem ter oportunidades de mostrar o seu verdadeiro potencial. 

4.  Não oferecer um bom plano de carreira

Os bons talentos do mercado desejam investir em sua vida profissional e encontrar boas oportunidades de crescimento. Se a empresa não tem um foco nisso, os funcionários podem ficar desmotivados. Por isso, oferecer um plano de carreira atraente é uma boa estratégia de atração e retenção de talentos.

O RH pode fazer isso entrevistando cada colaborador e entendendo quais são as suas perspectivas. Ao descobri-las, os gestores podem combiná-las com os objetivos da empresa para encontrar um equilíbrio.

Vale lembrar que também é preciso fazer um acompanhamento constante do progresso do profissional, sempre dando feedbacks e oportunidades de desenvolvimento.

5. Ter um clima organizacional ruim

Ter um clima organizacional ruim é um dos grandes erros na atração e retenção de talentos. Afinal, nenhum profissional deseja trabalhar em um ambiente com muitos conflitos e outros diversos fatores negativos. Isso irá causar desmotivação nos colaboradores, altas taxas de turnover, queda de rendimento, etc.

Além disso, isso traz impactos negativos na imagem da empresa, que acaba não sendo vista como referência no mercado. O funcionário irá reclamar da organização e das suas dificuldades com familiares e amigos próximos, o que dissemina essa percepção ruim sobre o ambiente de trabalho.

Para evitar essas situações, faça pesquisas de clima periodicamente e avalie como está o ambiente no trabalho. Dessa forma, é possível fazer melhorias constantes e traçar ações estratégicas para atrair e reter talentos.

6. Ter falhas na comunicação

A comunicação é um fator de grande importância que faz com que a equipe alcance bons resultados. Seja entre líder e liderados ou entre colaboradores, ela precisa ser bem desenvolvida. A falta de clareza nas informações pode causar erros graves e muitos prejuízos para as empresas. Essas falhas não agradam a equipe e nem atraem talentos do mercado. 

Para evitar que a comunicação da sua empresa chegue a esse nível, invista em boas ferramentas (softwares, newsletter, redes sociais, emails corporativos, aplicativos, etc.) para que as informações sejam repassadas, estimule a interação entre a equipe, saiba personalizar a comunicação de acordo com cada perfil de colaborador, faça treinamentos antes de responsabilizar alguém por uma tarefa nova e lembre-se de sempre informar a todos sobre mudanças, procedimentos, oportunidades, resultados, etc. Por fim, vai uma dica muito importante: valorize a transparência. Ela é essencial para desenvolver uma boa comunicação e fazer com que o profissional realmente queira “vestir a camisa” da empresa.

7. Processos mal definidos

Os processos internos da empresa devem ter sempre as funções de cada um. Se isso não for feito, alguns ficarão mais sobrecarregados que outros, o que irá diminuir a produtividade da equipe. Além disso, os profissionais que sempre ficam sobrecarregados acabam ficando debaixo de estresse e cada vez mais desmotivados com o trabalho na empresa. Portanto, delegue as tarefas de forma clara e tenha processos bem definidos. 

8. Ter cargos incoerentes

Existem empresas que desde a divulgação de uma vaga são incoerentes nas descrições e funções que são colocadas para captar talentos. É comum que algo seja descrito, mas já no primeiro dia de trabalho o colaborador percebe que vai precisar assumir responsabilidades diferentes. Isso frustra e desmotiva o profissional. Portanto, evite cometer esse erro e sempre planeje antes de delegar tarefa para um colaborador.

Isso também envolve outras questões importantes como a descrição de uma vaga, incluindo aquelas que serão colocadas na divulgação. Disponibilizar uma descrição padrão e realizar um processo seletivo genérico pode atrair profissionais errados. Antes, é preciso entender o porquê o antigo profissional foi desligado, o que pode ser feito para que o mesmo erro não se repita, se as funções do cargo estão de acordo com as verdadeiras necessidades da empresa e qual perfil deve ser procurado. Se isso for feito da forma correta, você irá atrair os profissionais certos e engajados com a função que irá ser exercida.

9. Não ter uma cultura de feedback

Não ter uma cultura de feedback pode ser muito prejudicial para a empresa, principalmente na retenção de talentos. Alguns ainda pensam que os feedbacks são broncas, pois muitos líderes utilizam esse momento apenas para dar críticas negativas. No entanto, eles são essenciais para o crescimento de uma empresa. Afinal, os colaboradores irão saber onde estão errando, no que podem melhorar e receber incentivos para não se sentirem inseguros com o seu desempenho.

10. Ter o foco só no salário

Os talentos no mercado não são atraídos mais apenas por um bom salário. Toda a cultura da empresa passa a ter um grande peso, pois eles desejam ser valorizados, ter bons benefícios, fazer parte de uma empresa com princípios compatíveis ou até mesmo participar de um ambiente de trabalho mais descontraído e moderno. Não se trata mais apenas de um elemento, mas uma combinação de fatores que irão tornar a empresa um lugar realmente atrativo para se trabalhar e permanecer trabalhando.

Agora você já sabe quais erros críticos deve evitar para avançar na sua meta de atrair e reter mais talentos. Ao colocar essas dicas em prática, sua empresa irá colher melhores resultados.

Gostou deste artigo? Para continuar aprendendo mais sobre estratégias para o setor de RH, você pode acessar nossos outros conteúdos no blog da JobConvo. Não deixe de conferir!

Sobre o autor

JobConvo

A JobConvo foi desenvolvida para crescer com a sua empresa – fornecendo os recursos e a flexibilidade de que você precisa em cada estágio. Se a sua empresa possui 1 ou 10.000 funcionários, pode contar conosco. Atualmente nossas soluções abrangem plataforma de Gestão para Processos de Recrutamento e Seleção e admissão digital, onde você pode gerir todo o processo com um sistema com inteligência artificial.

Idiomas

Sobre a JobConvo

Plataforma Líder em Gestão para Processos de Recrutamento e Seleção

  • Crie requisições;
  • Personalize e automatize as etapas dos processos;
  • Compartilhe as vagas em diversos canais;
  • Aplique testes técnicos;
  • Faça o Fit Cultural e a tendência de comportamento dos candidatos;
  • Analise as vídeo entrevistas;
  • Compartilhe os finalistas com gestores;
  • Analise os relatórios;
  • Faça a admissão digital.

Saiba mais