Avaliação de desempenho: o que é e quais são os seus tipos

Avaliação de desempenho: o que é e quais são os seus tipos

Você sabe do que se trata a avaliação de desempenho? Não? Bom, essa é uma ferramenta dos Recursos Humanos que tende a fazer uma análise muito além da performance do colaborador ou da equipe.

Entretanto, não existe uma única maneira de você realizar essa avaliação. São diversos modelos que a equipe de RH pode utilizar para realizar uma análise mais completa.

Portanto, se você deseja saber sobre o assunto, leia este conteúdo até o final. Aqui, abordaremos tudo o que precisa saber sobre o assunto e quais são os tipos de avaliação que podem ser utilizados em uma organização para avaliar o desempenho do colaborador e de toda a equipe.

Boa leitura!

 

plano-gratis-jobconvo

 

O que é avaliação de desempenho?

A avaliação de desempenho nada mais é do que uma ferramenta utilizada pela equipe de gestão de pessoas. Ela tem como foco mensurar o desempenho dos colaboradores ou dos setores da empresa.

Apesar de não haver um prazo determinado para a avaliação de desempenho, ele pode ser feito de maneira periódica. Entretanto, pode ser adaptado de acordo com as necessidades da organização.

Além de avaliar o desempenho do colaborador, a avaliação ajuda a entender se o funcionário não está sendo produtivo ou está acima do que a gestão espera. Analisar as skills também é importante, seja elas técnicas ou comportamentais.

Assim, é possível criar um plano estratégico de acordo com as necessidades, seja do colaborador ou mesmo da equipe. Esse plano pode abarcar diversos aspectos, como:

  •       Promoção;
  •       Bonificação;
  •       Treinamento;
  •       Desligamento.

Por fim, uma avaliação de desempenho vai ajudar a própria organização a entender os pontos fortes e pontos que precisam melhorar, seja na produção, atendimento ao cliente e outros setores, o que vai ajudar na hora de aprimorar as melhores e gerar resultados.

Quais são os tipos de avaliação de desempenho?

– Autoavaliação de desempenho:

A autoavaliação de desempenho é uma ótima pedida se a equipe que será avaliada está a algum tempo na empresa e são engajadas em busca do resultado da empresa.

Além disso, ela pode ser uma alternativa interessante se fazer com que os colaboradores passem a se sentir parte dos processos de melhoria dentro da organização para que ela alcance os seus objetivos.

Neste caso, é o próprio colaborador que vai listar quais são as suas fraquezas e os pontos fortes de si mesmo dentro da empresa. Em seguida, ele deve discutir com o gestor a análise realizada. Assim, ambos podem procurar soluções que eliminem problemas e melhore os resultados.

Através da autoavaliação de desempenho, o profissional pode refletir sobre a própria performance e oferecer a ele a chance de mostrar o grau de amadurecimento e a capacidade de entender os feedbacks que serão dados, rumo a melhora.

Por fim, existe um ponto de atenção que deve ser levado em conta, que é a imparcialidade do colaborador e também do líder ao realizar a análise. Ter um diálogo de qualidade e transparente é essencial para que os interesses individuais não ultrapassem o limite saudável.

– Avaliação por competência:

A avaliação por competência precisa ser dividida em duas partes específicas, que são:

  •       Comportamental;
  •       Técnica.

Ambas são autoexplicativas, já que o comportamento se refere a, justamente, as ações do colaborador, como:

  •       Comprometimento;
  •       Trabalho em equipe;
  •       Proatividade;
  •       Relação com o restante da equipe.

Já a técnica vai variar muito, pois, ela está ligada ao cargo e a função do colaborador. É importante lembrar que ela precisa estar fundamentada na atividade em si.

Se você está precisando descobrir quais são as competências necessárias para atuar em uma determinada função dentro da empresa, então, é muito importante que se utilize dessa avaliação.

É justamente a partir da análise por competência que será possível entender o que é preciso para desempenhar tal papel na empresa.

Para realizar uma boa análise, determine quais serão os parâmetros usados para o diagnóstico e estabeleça metas. Somente desta forma vai ser possível avaliar as suas competências técnicas e também as comportamentais.

– Avaliação da equipe:

Enquanto as avaliações focadas no colaborador têm como objetivo o seu próprio desenvolvimento, avaliar a equipe também é muito importante para que a organização tenha a percepção de como os esforços da equipe podem impactar a empresa.

Através dela, a empresa consegue enxergar como o grupo está alinhado. Além disso, é possível descobrir de que maneira promover a troca de conhecimento, além de experiências, aumentando a chance de alinhamento e metas.

Neste caso, o que deve entrar em pauta, principalmente, é a comunicação e também o relacionamento entre os membros.

– Avaliação de desempenho 180º:

A avaliação de desempenho de 180º é uma das análises mais conhecidas no mundo de RH, onde o desempenho individual do colaborador é avaliado pelo gestor, que tenta acompanhar de perto as rotinas e tarefas.

Entre os pontos de vantagem dessa avaliação, está a garantia de padronização de uma análise, o que ajuda muito na hora de avaliar o restante da equipe.

Porém, se a relação entre o líder e o funcionário não for boa, a imparcialidade em analisar a situação não será boa, já que os atritos e os conflitos podem acabar tirando a objetividade, levando os gestores a cometer erros.

Para minimizar essa situação, é importante que passe todos os relatórios a uma equipe com profissionais de níveis hierárquicos diferentes, assim como os gestores do RH.

O objetivo central aqui é analisar todos os critérios usados pelos líderes para que o nível de exigência da empresa esteja sempre alinhado e assim evitar problemas devido a questões pessoais.

– Avaliação de desempenho 360º:

A avaliação de desempenho 360º é outra oportunidade muito utilizada pelas grandes empresas. Com ele a avaliação não é feita apenas nos colaboradores, mas sim em todos da hierarquia.

Através dessa ferramenta é possível realizar uma avaliação de três maneiras, que são:

  •       Por si mesmo;
  •       Pelos colaboradores;
  •       Por seus superiores.

A partir disso é possível ter uma análise mais complexa, o que ajuda muito na hora de identificar o que pode estar influenciado na situação atual da empresa, já que a visão de cada setor pode complementar o relatório.

É importante que as avaliações realizadas sejam feitas de forma anônima, assegurando a todos da equipe um alto grau de privacidade para que eles tenham liberdade para mensurar o desempenho dos colegas.

Assim, o método vai conseguir trazer um feedback imparcial, além de boas sugestões de oportunidades que podem ajudar na melhora do comportamento.

– Matrix 9 Box:

A Matrix 9 Box é uma ferramenta de avaliação de desempenho que tem como foco ajudar as empresas a desenvolver as sucessões de cargos ou a planejar as mudanças que podem ter acontecido dentro do quadro de colaboradores.

Assim, essa é uma ótima alternativa para a organização melhorar a gestão de pessoas, quando será necessário recolocar um profissional na empresa e um novo processo de recrutamento e seleção precisa ser feito.

Desta forma, com essa ferramenta você terá muito mais facilidade de avaliar os talentos que existem dentro da organização, analisando o desempenho durante toda a trajetória na empresa e descubra as chances de ele ser um bom profissional a longo prazo.

– Avaliação por objetivos:

A análise por objetivo é uma das avaliações por objetivos mais interessantes para promover o feeling de pertencimento dentro da empresa e na equipe. Isso acontece porque, além de conseguir avaliar o próprio desempenho, os colaboradores se tornam os responsáveis para tomar as providências necessárias.

Assim, os profissionais devem traçar objetivos que desejam alcançar e um cronograma do que fazer para isso acontecer. Assim, é o próprio colaborador que faz:

  •       Revisões do cumprimento das metas;
  •       Análise de como eles mesmos estão atuando para atingir as metas;
  •       O que deve ser feito para melhorar a sua própria produtividade na empresa.

– Escala gráfica:

Por fim, temos a escala gráfica, que é uma das avaliações de desempenho mais simples de serem promovidas na empresa e uma das mais tradicionais.

A escala gráfica é baseada em uma tabela com uma coluna que enfileira as habilidades que devem ser avaliadas nos colaboradores, como:

  •       Pontualidade;
  •       Criatividade;
  •       Trabalho em equipe, etc.

Em outra coluna é preciso criar uma escala com notas de 0 até 5 ou até 10, caso prefira essa escala.

Apesar de ter como vantagem essa simplicidade, essa avaliação tem como fraqueza o fato de ser muito limitada em como ela analisa, já que não existe qualquer aprofundamento nas habilidades e nem o que precisa ser melhorado.

Entretanto, ela ainda pode ser uma boa opção caso esteja começando a realizar uma análise de desempenho, mas em conjunto com outras avaliações, como é o caso da avaliação de 360 graus.

Utilizando ambos os dados é possível cruzar as informações e obter melhores resultados.

 

 

Ao entender os tipos de avaliação de desempenho que existem fica mais fácil para você, gestor, aplicar adequadamente cada uma delas em situações que são pertinentes e que podem gerar os resultados que está buscando.

Portanto, busque entender melhor cada um desses conceitos e a partir disso, tenho certeza que terá a oportunidade de avaliar melhor a sua equipe, desenvolver estratégias e claro, melhorar os resultados do negócio.

 

plano-gratis-jobconvo

Sobre o autor

JobConvo

A JobConvo foi desenvolvida para crescer com a sua empresa – fornecendo os recursos e a flexibilidade de que você precisa em cada estágio. Se a sua empresa possui 1 ou 10.000 funcionários, pode contar conosco. Atualmente nossas soluções abrangem plataforma de Gestão para Processos de Recrutamento e Seleção e admissão digital, onde você pode gerir todo o processo com um sistema com inteligência artificial.

Newsletter BR

Pesquisa Vagas

Vagas Tech

PodCast

Sobre a JobConvo

Plataforma Líder em Gestão para Processos de Recrutamento e Seleção

  • Crie requisições;
  • Personalize e automatize as etapas dos processos;
  • Compartilhe as vagas em diversos canais;
  • Aplique testes técnicos;
  • Faça o Fit Cultural e a tendência de comportamento dos candidatos;
  • Analise as vídeo entrevistas;
  • Compartilhe os finalistas com gestores;
  • Analise os relatórios;
  • Faça a admissão digital.

Saiba mais