Propaganda

Como calcular o TURNOVER da sua Empresa?

Como calcular o TURNOVER da sua Empresa?
Propaganda

O índice de turnover é uma das métricas fundamentais para uma gestão de RH. Por meio dele, é possível ter informações importantes sobre a taxa de rotatividade de funcionários, identificando sempre se ela está alta demais e se esse fator pode estar prejudicando o negócio. Como qualquer outra métrica, é preciso ter acompanhamento contínuo, além de ser necessário realizar alguns cálculos. Mas afinal, como calcular o turnover da sua empresa?

Quer calcular a taxa de turnover, mas não sabe como? Baixe a planilha GRATUITA com fórmulas prontas e faça em poucos minutos!

O cálculo deve ser feito por meio de uma fórmula, que irá utilizar dados importantes sobre admissões, desligamentos e o número atual de colaboradores da organização. Saber como realizá-lo é essencial para avaliar o desempenho do RH e saber quais ações estratégicas podem ser traçadas. Para te ajudar nesta tarefa, preparamos um artigo com um passo a passo completo, além de uma planilha com fórmulas prontas para o RH. Continue acompanhando a leitura!

O que é o turnover de uma empresa?

Turnover, ou índice de rotatividade em português, é a métrica utilizada para identificar a taxa média de saída de funcionários de uma empresa em relação ao seu número médio atual de funcionários. O cálculo é feito considerando um período determinado de tempo, que costuma ser de um ano. 

É importante lembrar que o turnover não mede apenas o número de funcionários que saem da organização, mas também pode se aplicar em subcategorias dentro da própria empresa (ex.: departamentos individuais).

Tipos de turnover

Quando um colaborador deixa a empresa, não necessariamente o motivo é a insatisfação com o trabalho. Existem diversas justificativas, que podem variar de acordo com cada situação. Por exemplo, alguns realmente estão insatisfeitos com o seu trabalho, mas outros querem se aposentar ou acabam encontrando um emprego mais vantajoso. Por isso, existem diversos tipos de turnover. Conheça abaixo cada um deles:

Turnover Voluntário e Involuntário

O desligamento de um colaborador pode ser um pedido de demissão ou ele pode ser demitido pela organização. Portanto, existe a rotatividade voluntária (iniciada pelo colaborador) e a rotatividade involuntária (iniciada pela empresa).

Saber diferenciá-las é essencial. Afinal, quando a rotatividade ocorre de maneira voluntária, é preciso analisar de forma aprofundada quais são os principais motivos que fazem os colaboradores pedirem demissão ou permanecerem na empresa. Assim, é possível traçar estratégias em que os colaboradores atuais se sintam valorizados.

Turnover Funcional e Disfuncional

Partindo do turnover voluntário, temos outras duas subcategorias: o turnover funcional e o turnover disfuncional.  O mais prejudicial dos dois é o disfuncional, pois inclui os colaboradores que tinham um bom desempenho. Normalmente, são aqueles que possuem competências difíceis de serem substituídas.

Já o funcional engloba aqueles que já possuíam um desempenho ruim ou que facilmente podem ser substituídos. Portanto, ele possui um impacto muito menor na empresa. Os parâmetros dessa análise são relativos e irão depender de cada organização, afinal, o que torna um colaborador valioso depende de muitos fatores. Por exemplo, as skills de tecnologia costumam ser mais raras, o que pode indicar uma taxa de rotatividade mais disfuncional em empresas em que o colaborador que pediu demissão atuava em uma função como essa. 

Turnover Inevitável e Evitável

O turnover inevitável e evitável são subcategorias do turnover disfuncional. Como já diz o nome, existem desligamentos em que a empresa não tem como investir na redução do turnover, por conta de razões inevitáveis, ou seja, que a empresa não pode ter controle. Por exemplo, não há como controlar quando um colaborador precisa se mudar para outro estado.

Contudo, vale lembrar que essas razões podem ser imprecisas, pois por mais que a empresa não tenha controle sobre algumas situações, como por exemplo quando uma pessoa decide iniciar uma família, a empresa pode oferecer alguns benefícios voltados para isso, como licença-maternidade, dentre outras vantagens destinadas à família do colaborador.

Qual é a importância de medir a taxa de rotatividade da empresa?

Talvez você esteja pensando: “É impossível não ter uma taxa de rotatividade”. Essa afirmação está certa, mas não deixa de demandar atenção redobrada do RH. Sejam taxas altas demais ou taxas baixas demais, é sinal que pode ter algo errado, como má administração, baixa motivação no trabalho, dentre outros problemas. 

É comum se assustar com as altas taxas de rotatividade, mas um artigo da Forbes relatou que o turnover baixo demais é um exemplo de empresa que está conformada com o quadro atual de funcionários e isso pode interferir no pensamento crítico individual, resultando em decisões ruins. 

Portanto, as empresas devem ficar atentas e utilizar mecanismos estratégicos para manter a taxa de turnover equilibrada. Além disso, é fundamental fazer uso de ferramentas que avaliem os impactos das ações no negócio. Dessa forma, o RH pode identificar o que traz benefícios ao ambiente de trabalho. Veja abaixo os benefícios em calcular o turnover da sua empresa e investir em ações estratégicas para a retenção de colaboradores:

  • Menos sobrecarga dos colaboradores, pois com a saída de muitos funcionários, os que permanecem acabam assumindo essas tarefas;
  • Melhora da imagem da empresa, seja internamente ou no mercado corporativo;
  • Melhora do clima organizacional, pois a constante saída de funcionários pode gerar alguns conflitos;
  • O investimento na retenção de talentos demanda menos recursos financeiros do que um novo processo de recrutamento e seleção;
  • Aumento da produtividade, satisfação e motivação da equipe.

Como calcular o turnover de uma empresa?

Veja abaixo algumas formas de calcular o turnover de uma organização:

1. Cálculo do turnover geral

Antes de entender como calcular o turnover da sua empresa, é importante saber que existe uma fórmula antiga que não considerava apenas os desligamentos, mas também incluíam a entrada de pessoas. Era preciso somar o número de admissões e desligamentos, dividir por 2 e também pelo número total de funcionários na empresa. Esse modelo antigo de cálculo é indicado quando a organização deseja saber a rotatividade geral da empresa, sem ter a necessidade de extrair informações qualitativas. Vale lembrar que ela considera o número de pessoas admitidas, o que pode ser um problema diante de alguns cenários. 

2. Cálculo de turnover dos colaboradores desligados

Um dos cenários que torna a fórmula anterior “falha” é quando uma empresa cresce repentinamente, em número de funcionários e em receita. Portanto, para medir a eficácia da retenção de talentos, é importante utilizar a fórmula que utiliza apenas o número de desligamentos. Aqui, é preciso pegar o número total de desligados e dividir pelo número total de colaboradores.

Existem algumas evoluções dessa fórmula que, dependendo da empresa, podem ser vantajosas. Por exemplo, é possível separar o cálculo para considerar os desligamentos de quem pediu demissão (ativos) ou foi demitido (passivos). As taxas altas considerando os “ativos” mostram que existem problemas na retenção de talentos e a dos passivos que existem problemas no processo de recrutamento e seleção.

Para realizar o cálculo, basta pegar o número de desligados (demitidos ou que pediram demissão. Faça os cálculos separadamente), e divida pelo número total de colaboradores.

Qual é o índice de turnover ideal?

Não existe um percentual exato ideal de turnover para as empresas, pois isso irá depender de diversos fatores e de cada cultura organizacional. Contudo, é importante saber que acima de 10% ao ano (1% ao mês), a taxa já é considerada alta.

Como diminuir as taxas de turnover?

Confira agora algumas práticas que podem reduzir as taxas de turnover da sua empresa:

  • Oferecer um pacote de benefícios vantajoso e que seja adequado ao perfil de colaborador da organização;
  • Investir em treinamento e desenvolvimento;
  • Estabelecer uma cultura de feedback;
  • Desenvolvimento de plano de carreira, unindo os interesses da empresa com os objetivos do colaborador;
  • Aprimoramento do processo seletivo. Afinal, quanto mais bem-sucedido for o R&S, maiores serão as chances de contratar profissionais qualificados e adequados ao perfil da empresa.

Como o software JobConvo pode reduzir o turnover da sua empresa?

A tecnologia é capaz de tornar os processos muito mais assertivos e eficientes. Em consequência disso, há também a redução expressiva dos custos. Com o software JobConvo, por exemplo, você pode economizar até mais de 50% com os processos seletivos. Essa porcentagem foi baseada em dados reais, que mostram o impacto da utilização do software em seu R&S.

Os recursos de automação permitem que as horas economizadas em trabalho operacional se transformem em um grande investimento estratégico. Além disso, existem diversas ferramentas que contribuem para que o perfil de candidato ideal seja contratado, como o Fit Cultural. 

Você pode agendar uma demonstração gratuita e ver na prática como a JobConvo pode garantir todas essas vantagens para o seu RH.

Planilha para calcular turnover: download gratuito

Gostou deste artigo e esclareceu as suas dúvidas? Se sim, ainda tem mais: para te ajudar no processo de cálculo de turnover da sua empresa, preparamos uma planilha exclusiva com fórmulas prontas. Com ela, o cálculo pode ser feito em poucos minutos, basta preencher os dados necessários. Faça o download gratuito da planilha de cálculo de turnover aqui!

Propaganda

Sobre o autor

JobConvo

A JobConvo foi desenvolvida para crescer com a sua empresa – fornecendo os recursos e a flexibilidade de que você precisa em cada estágio. Se a sua empresa possui 1 ou 10.000 funcionários, pode contar conosco. Atualmente nossas soluções abrangem plataforma de Gestão para Processos de Recrutamento e Seleção e admissão digital, onde você pode gerir todo o processo com um sistema com inteligência artificial.

Sobre a JobConvo

Plataforma Líder em Gestão para Processos de Recrutamento e Seleção

  • Crie requisições;
  • Personalize e automatize as etapas dos processos;
  • Compartilhe as vagas em diversos canais;
  • Aplique testes técnicos;
  • Faça o Fit Cultural e a tendência de comportamento dos candidatos;
  • Analise as vídeo entrevistas;
  • Compartilhe os finalistas com gestores;
  • Analise os relatórios;
  • Faça a admissão digital.

Saiba mais