Como realizar uma contratação remota: passos que você não pode esquecer

5 (100%) 1 vote[s]

Não importa onde a empresa esteja, ela pode contar com os melhores profissionais graças à contratação remota.

Ela aumenta a disponibilidade de profissionais por vaga, ela pode reduzir custos da empresa e ainda pode motivar colaboradores, já que ninguém mais vai perder tempo com o trânsito no caminho do escritório.

Quer entender melhor sobre essa forma de trabalho com empresas que já a empregam no mundo inteiro?

Confira o que o trabalho à distância pode oferecer para a empresa e seus funcionários, bem como todas as informações sobre a contratação remota!

Entenda o que é contratação remota

Contratação remota é quando um processo seletivo, a contratação e a atuação do novo funcionário acontece online. Nessa modalidade, o novo colaborador irá trabalhar de onde preferir, ou seja, remoto à empresa.

Mas existem maneiras diferentes para a contratação e o trabalho remoto e cada empresa seleciona aquela que melhor terá adaptação ao seu cotidiano. No caso, o colaborador está disponível para a empresa, mas trabalha em casa ou de um coworking, de forma remota.

Existem sistemas em que o trabalho é feito totalmente fora da empresa. Em outros, o home office (escritório em casa) pode ser realizado alguns dias na semana ou alguns dias no mês, dependendo da política da empresa.

Uma equipe inteira pode ser remota, por exemplo, ou apenas alguns funcionários. O importante aqui é sempre manter a comunicação em dia, o que pode ser feito por sistemas como o Skype, Whatsapp, Slack, Hangout, dentre outras ferramentas.

Porém, há situações em que os colaboradores necessitam se dirigir à reunião presencial de forma frequente, o que é possível quando quem faz home office está na mesma cidade que a empresa.

Grandes companhias como o Ted, dos Ted Talks, por exemplo, fazem viagens trimestrais para a integração de funcionários.

Em resumo, as regras para atuar de forma remota, a comunicação e os encontros presenciais vão depender das necessidades da empresa.

Que tipos de funcionários podem fazer home office?

Companhias variadas podem se adaptar à contratação remota e o trabalho à distância, no entanto, há certos trabalhos que já se adaptam bem ao trabalho à distância:

Jornalismo e Escrita

Como a necessidade desse grupo é a pesquisa usando o telefone e a internet, ninguém precisa estar no escritório.

O importante é dispor de um ambiente silencioso para se concentrar.

Revisão e Tradução

De mesmo modo justificado anteriormente, trabalhando de forma remota, o revisor e o tradutor precisam apenas de um lugar tranquilo para seus serviços.

Inclusive, esse tipo de profissional como atuar mais como freelancer em vez de ser um empregado fixo do quadro de funcionários da empresa.

Vendedores

Se uma empresa tem vendedores que passam o dia visitando clientes, por que eles precisam de um espaço no seu escritório.

Uma linha telefônica com internet já é o suficiente para que esse profissional bata as metas e traga resultado, mesmo que trabalhando de forma remota.

Marketing digital

O profissional precisa ter acesso às ferramentas de marketing que a empresa usa e estar sempre em contato com as demais equipes para que o divulgado corresponda ao produto e serviço que a empresa vende.

Contabilidade

O contador sempre foi um trabalhador remoto, já que  costuma ser terceirizado e tem seu próprio escritório.

Desenvolvedores e Designers

Hoje em dia, estes profissionais são os que mais optam pelo “home office”, já que estão em alta no mercado. Com essa possibilidade, eles podem trabalhar para qualquer empresa em qualquer lugar do mundo.

Coaches e Psicólogos

Com uma boa conexão, eles podem realizar todos os atendimentos online. Inclusive, empresas podem contratar esses profissionais para treinamentos específicos sem ter que pagar pelo deslocamento deles.

O que a legislação diz sobre contratação remota?

Trata-se de um dos transtornos de muitos empresários, mas isso pode mudar com a informação correta.

Os termos legais de uma contratação, ainda que não tenham diferenças do modelo presencial e apresentem riscos semelhantes, o regulamento existe e tem aplicação.

As regras da contratação remota, que tiveram estabelecimento no mês de dezembro do ano de 2011, preveem os direitos do trabalho equivalentes aos da CLT – Consolidação das Leis do Trabalho, para aqueles que atuam de forma remota.

A exemplo disso, podemos citar o artigo 6º da CLT que esclarece a não existência de distinções entre o trabalho remoto e o trabalho daqueles que estão dentro da empresa, desde que existam as relações da função.

Desse modo, este trabalho tem reconhecimento, mas não existem legislações específicas para tal categoria de contrato. O fato é que tal funcionário tem direito garantido também em relação aos seus direitos previdenciários.

O trabalhador deve receber a remuneração, férias, além de um terço constitucional acrescido, anotações em carteira, o recolhimento do fundo de garantia – FGTS – e o décimo terceiro salário, bem como demais previsões.

Claro que uma empresa pode contratá-lo como PJ, desde que ele se enquadre nesse quesito.

Auxílio transporte

Um dos pontos que realmente se modificam em relação aos direitos, refere-se ao auxílio transporte. Os empregados não precisam se deslocar até os ambientes empresariais e, por isso, não há a necessidade deste vale, que passa a se caracterizar indevido em datas que o servidor esteja em “home office”.

Contudo, se o profissional precisar se locomover a trabalho, o auxílio deve ser pago de maneira proporcional.

Relação trabalho e empresa

Neste caso, é fundamental que o trabalhador se caracterize:

  • pessoa física;
  • que o trabalho deva ser realizado sempre pelo mesmo indivíduo e sem delegação;
  • subordinação – sempre responder à empresa e seus superiores, acatando ordens;
  • a não-eventualidade.

O que é preciso prover ao profissional?

A empresa deve tornar disponível a condição adequada do trabalho, sendo, ainda, de responsabilidade da mesma, as normas de segurança e medicina do trabalho.

De modo geral, em relação ao sistema, o trabalhador pode receber computador, celular, o pagamento da mensalidade da internet, além de suporte para que se monte o seu escritório.

A jurisprudência é capaz de entender que todas as despesas decorrentes do serviço realizado precisam ser reembolsadas pelo ambiente da empresa, porque os riscos do empreendimento precisam ter o suporte pelo empresário.

Especialmente se for um PJ, muitas coisas podem ser combinadas via contrato.

Como acompanhar um profissional de forma remota?

Meios de comunicação online disponíveis para que todos da equipe tenham acesso é algo que não falta.

Ferramentas para gerenciar tarefas, como Trello e o Asana, bem como para conversar, como o Slack e o Skype, são capazes de reduzir qualquer distância. Por isso, é importante que o profissional de RH auxilie as lideranças de cada área para entender o modelo de operar e, assim, propor ferramentas que atendam as necessidades diárias.

Além disso, vale lembrar que profissionais remotos que se adaptam melhor são aqueles com mais experiência de mercado, que não precisa ser ensinado sobre como fazer ou o que agir.

O segredo é: cada empresa e cada equipe precisa ter suas regras bem claras ao fazer uma contratação remota. Quais horas o funcionário deve estar disponível, como são as reuniões, quais ferramentas online são usadas, quais são as obrigações diárias dele e como ele será avaliado pelo líder.

Foco no onboarding importa também.

Tendo isso claro, a contratação remota certamente será um sucesso.