Cresce Busca por Automação nos Processos de Recrutamento e Seleção

A área de Recrutamento e Seleção (R&S) tem se configurado como uma peça importante e estratégica, tendo em vista que hoje está cada vez mais difícil de encontrar talentos, os candidatos estão bem informados sobre as empresas – muitas vezes serão eles quem irão escolher, apesar das redes sociais facilitarem esta busca por profissionais, seu concorrente também tem acesso a elas e, finalmente, você já deve ter percebido que toda essa dinamicidade reforça ainda mais a importância de se garantir um bom encaminhamento deste novo colaborador, já que a contratação não é o fim do processo de seleção.

Por isso, encontrar uma ferramenta que possibilite o foco no que realmente importa é fundamental. E sabendo que as atividades de R&S são, basicamente, atrair, triar, selecionar e contratar, sem dúvida encontrar um sistema de recrutamento e seleção que automatize partes deste processo pode fazer a diferença nos quesitos de otimização de recursos, tanto financeiros quanto de tempo.

“Se há alguns anos o uso de Inteligência Artificial (IA) nos processos seletivos era visto com preocupação, seja pelo investimento financeiro, seja pelo receio de deixar a seleção fria ou impessoal, hoje os recrutadores das grandes empresas já sabem reconhecer a importância e o valor da automatização”, afirma Ronaldo Bahia, CEO da JobConvo, empresa de tecnologia para capital humano.

Profissionais de RH estão atentos às inovações tecnológicas

De acordo com a pesquisa americana 2017 Harvey Nash Human Resources Survey realizada com mais de mil profissionais da área de Recursos Humanos (RH), o aumento do uso de tecnologia na área tem crescido e demandado atenção: mais de 90% dos entrevistados estão cientes de que as inovações tecnológicas são vitais para mensurar tanto a funcionalidade dos seus departamentos, quanto o retorno de investimento.

Além disso, 15% dos líderes de RH dizem que a AI e a automação já estão impactando seus planos de força de trabalho, enquanto outros 40% já esperam que isso seja determinante nos próximos cinco anos.