No mundo do marketing, branding é um conjunto de ações que são alinhadas ao posicionamento de uma marca, seja em relação ao seu propósito ou valores. Ele tem como principal objetivo criar conexões com o público e fazer com que eles vejam a marca de forma positiva para que assim a pessoa escolha o seu serviço ou produto. Quando trazemos esse conceito para o mundo do RH, nós temos o famoso employer branding. 

Ao invés de fazer com que os clientes vejam a marca de forma positiva, a ideia aqui é fazer com que o mercado veja a empresa como um bom local para se trabalhar (e até mesmo desejado!). Não tem nada melhor para promover isso do que por meio dos próprios colaboradores e candidatos que possuem ou já tiveram algum contato com a organização. Pode parecer estranho, mas os candidatos de um processo seletivo podem se tornar grandes promotores da marca da empresa. 

É exatamente o que iremos abordar neste artigo: o employer branding e a sua influência no processo seletivo. Continue acompanhando a leitura!

O que é employer branding?

Employer branding, ou marca empregadora em português, é um conjunto de ferramentas e técnicas que visam a promoção de uma imagem positiva da empresa no mercado de trabalho. As estratégias utilizadas têm como intuito fazer a organização ser vista como um local atrativo para se trabalhar. Por isso, o foco é aumentar cada vez mais a satisfação dos colaboradores.

Isso pode proporcionar inúmeros benefícios, que abordaremos melhor sobre eles ao decorrer deste artigo. Contudo, podemos destacar que é uma ferramenta estratégica para estar à frente dos concorrentes. Já imaginou os melhores talentos do mercado disputando as vagas disponíveis em sua empresa e os seus colaboradores se empenhando cada vez mais para permanecerem na organização? Sem dúvidas esses fatores são essenciais para um outro assunto que iremos abordar: o employer branding e a influência nos processos seletivos.

Vantagens de investir em employer branding

Confira abaixo as principais vantagens de ter um bom employer branding:

  • Reforçar os valores da organização: as práticas de employer branding mostram na prática que a empresa cumpre aquilo que promete. Os valores da organização são reforçados e ficam em evidência para todos, sejam candidatos ou colaboradores;
  • Atração e retenção de talentos: como as ações de employer branding contribuem para a construção de uma imagem positiva da marca, isso irá atrair mais talentos para a empresa. Quando contratados, os colaboradores enxergam que a empresa realmente se importa com eles, o que consequentemente aumenta a retenção de talentos;
  • Vantagem competitiva: o employer branding é uma excelente estratégia para se manter em destaque no mercado e alcançar vantagem competitiva. Afinal, a empresa estará oferecendo uma experiência de trabalho atrativa e que pode se sobressair do “comum”;
  • Redução de custos: quando uma organização não se preocupa com colaboradores e candidatos, ela começa a perder seus melhores talentos, aumentando a taxa de turnover. Isso traz muitos gastos, seja na rescisão contratual ou na elaboração de um novo processo seletivo;
  • Aumento da produtividade: os colaboradores têm um papel essencial nos resultados do negócio. O employer branding faz com que eles se dediquem mais e apresentem níveis maiores de produtividade. Isso porque eles entendem que a empresa oferece oportunidades, crescimento e desenvolvimento. Tudo isso gera mais motivação e desempenho, gerando melhores resultados para a empresa.

Como as etapas do processo seletivo podem melhorar o employer branding?

Quando o RH oferece um bom processo de recrutamento e seleção, e fica atento a todas as etapas, é possível reforçar os diferenciais da empresa. Por isso, separamos algumas dicas para te mostrar como o R&S pode melhorar a reputação da organização como marca empregadora. Veja abaixo:

1. Divulgação de vagas 

O processo de divulgação de vagas é uma das primeiras etapas do R&S. Com ele, é possível conseguir captar os talentos certos, com as competências e habilidades que a empresa precisa. No entanto, para que isso ocorra dessa forma, é preciso divulgar a vaga de maneira adequada e nos canais certos.

Lembre-se de escrever uma descrição completa, com todas as informações necessárias sobre a vaga, os requisitos e sobre a empresa. Para ter uma divulgação que colabore com o seu employer branding, também é importante não incluir informações em excesso sobre a organização para não tornar o anúncio desinteressante.

2. Agendamento das entrevistas

O agendamento das entrevistas é uma etapa do R&S em que a empresa terá um dos seus primeiros contatos com os candidatos. Por isso, o employer branding aqui precisa de atenção. A forma como o profissional é abordado, como ele recebe as informações de forma completa, o cuidado para tirar dúvidas, dentre outros fatores, é fundamental para que ele tenha uma imagem positiva da empresa. Caso isso não ocorra, o candidato pode até mesmo desistir da vaga.

3. Site sobre a empresa

Quando um candidato se aplica a uma vaga, a primeira coisa que ele faz é ir até o site da empresa e se informar sobre como ela funciona. Além disso, ele também irá buscar informações nas redes sociais. Para causar uma boa impressão, essas páginas também devem ser atrativas, informativas e completas. Quando a empresa consegue relatar os seus valores, o profissional vai entender se realmente vale a pena trabalhar para ela. Se o seu R&S não tem proporcionado resultados positivos de atração de talentos, essa pode ser a origem do problema.

4. Entrevistas

O agendamento das entrevistas pode ser o primeiro contato da empresa com os candidatos. Contudo, a entrevista em si é o ponto crucial desse contato direto, onde a empresa irá conhecer o profissional de fato. É importante que os entrevistadores falem sobre a missão da empresa, seus valores, dentre outras informações importantes sobre o negócio. Essa atitude irá gerar um senso de pertencimento logo de início, fator que faz total diferença no employer branding.

Vale lembrar que o entrevistador também deve deixar o candidato fazer perguntas sobre a empresa para que ele a conheça melhor, e enxergue as oportunidades de crescimento e desenvolvimento em sua carreira.

5. Feedbacks sobre as entrevistas

Os feedbacks são muito valiosos durante o processo de construção de um bom employer branding, principalmente durante o recrutamento e seleção. Não oferecê-los pode deixar os candidatos frustrados. Mesmo que ele não seja aprovado, é imprescindível que a empresa ofereça um feedback sobre o seu desempenho. Caso ele seja aprovado, explique de forma clara todos os próximos passos necessários e deixe-o confortável para realizar as perguntas que desejar. Se essa etapa for feita com eficiência, a imagem da empresa irá se tornar positiva aos olhos dos talentos do mercado. 

Por fim, lembre-se sempre: ter um processo seletivo assertivo e humanizado fará com que a empresa tenha um bom employer branding e, consequentemente, alcance resultados positivos nos negócios.

Dicas para um bom employer branding

Agora que você já viu todos os passos para ter um processo seletivo assertivo que contribua para um bom employer branding, temos uma outra dica valiosa: não faça propagandas enganosas! Prometer o que não pode ser cumprido pode acarretar problemas graves na imagem da empresa. 

Imagine o seguinte cenário: o candidato foi aprovado e quando chega no dia a dia da rotina da empresa, ele percebe que a vaga não é nada do que informaram a ele. Ou então ele percebe que os valores da marca apresentados na entrevista não condizem com a postura diária dos profissionais no ambiente de trabalho. 

Se isso acontecer, são grandes as chances do profissional oferecer um baixo rendimento e em alguns meses deixar a empresa. Ofereça oportunidades, crescimento, desenvolvimento e outras práticas de employer branding, mas não promova aquilo que a empresa não irá oferecer. Tudo isso irá impactar na reputação da empresa como marca empregadora. Portanto, tome os devidos cuidados.

A importância da tecnologia no RH para o employer branding

Abordamos nos tópicos anteriores algumas etapas que precisam ser realizadas com cautela e atenção no R&S para promover um bom employer branding. No entanto, para que tudo isso seja oferecido com sucesso, é muito importante que a empresa conte com o auxílio da tecnologia no setor. Assim, os processos serão otimizados e os profissionais de RH poderão focar em questões estratégicas para o negócio.

Utilizar um software de recrutamento e seleção é essencial para todas as etapas que citamos aqui. A JobConvo, por exemplo, é uma plataforma completa líder em gestão de processos de R&S. Ela oferece recursos para os seguintes processos:

  • Criação de requisições;
  • Criação de páginas de carreiras;
  • Personalização e automação das etapas dos processos;
  • Divulgação de vagas em diversos canais simultaneamente;
  • Aplicação de testes técnicos;
  • Realização do Fit Cultural;
  •  e automatize as etapas dos 
  • Realização de vídeo entrevistas;
  • Elaboração de relatórios inteligentes;
  • Admissão digital.

Todos esses recursos são fundamentais para um RH digital estratégico, que visa sempre alcançar resultados melhores e estar alinhado com as metas da organização. Para experimentar na prática essas vantagens, você pode solicitar uma demonstração GRATUITA do software JobConvo