Cultura empresarial: entenda como a JobConvo identifica e valoriza as diferenças culturais de cada área do negócio

Cultura empresarial: entenda como a JobConvo identifica e valoriza as diferenças culturais de cada área do negócio

Ter uma cultura empresarial forte se tornou essencial para alcançar vantagem competitiva no atual mercado corporativo. É preciso ter um diferencial para fazer com que a marca se destaque não só no mundo dos negócios, mas também entre os colaboradores da própria organização. 

Para isso, é necessário ter posturas e valores enraizados, que irão representar a empresa e fazer parte de cada componente das equipes existentes. Mas afinal, você sabe como implementar uma cultura empresarial e fazer com que ela contribua para o crescimento do negócio?

Se você deseja descobrir essa resposta e com isso obter inúmeras vantagens na trajetória da sua organização, é só continuar acompanhando a leitura!

O que é cultura empresarial?

Cultura empresarial, também conhecida como cultura organizacional, é o termo que se refere ao conjunto de atitudes, valores, missão, comportamento e crenças que direcionam todos os integrantes de uma organização. Portanto, é algo que vai além de apenas políticas e normas internas, pois representa as ações e comportamentos do time da empresa. A cultura precisa pautar a postura que cada profissional tem e definir como o negócio é conduzido em suas tomadas de decisão.

Para Chiavenato, escritor conhecido da área de recursos humanos, a cultura de uma empresa é capaz de impactar positivamente o crescimento dos negócios:

“A Cultura apresenta um forte e crescente impacto no desempenho da organização, sendo sua personalidade, seu comportamento e sua mentalidade, ou seja, sua cultura organizacional um fator de reconhecimento das empresas” (CHIAVENATO, 2010)

Qual a importância de uma cultura empresarial?

A cultura organizacional impacta diretamente os colaboradores de uma empresa. E não há mais dúvidas de que para alcançar o sucesso do negócio, é preciso ter uma equipe engajada e motivada. Os funcionários são o principal ativo do negócio, pois serão fundamentais no avanço contínuo da organização. 

Para a equipe, é frustrante e desmotivador trabalhar em uma empresa que prega um tipo de cultura organizacional e vive outra. Por exemplo, existem negócios que dizem ter uma cultura moderna, mas o dia a dia na organização é totalmente burocrático. Não basta apenas ter o conceito, é preciso realmente implementá-lo em todas as áreas do negócio.

Além disso, é a cultura que irá desenvolver as diretrizes da empresa, pois ela é responsável por definir hábitos, crenças, valores, políticas internas e externas. Ao ter uma boa cultura, os funcionários passam a ficar mais motivados e contribuem para o crescimento da organização, evitando problemas como baixa produtividade, altas taxas de turnover, absenteísmo, etc.

Diferença entre cultura e clima organizacional

É muito comum que alguns confundam os termos “cultura organizacional” e “clima organizacional”. No entanto, eles representam conceitos diferentes. A cultura de uma empresa engloba o seu propósito e tem relação com as ações e valores que conduzem ela ao seu objetivo.

Já quando o termo é clima organizacional, a relação é com a percepção que os colaboradores têm sobre o ambiente de trabalho, englobando questões como qualidade de estrutura, benefícios oferecidos, equipe, remuneração, etc. 

Basicamente, um fator irá influenciar o outro. Por exemplo, quando as ações da empresa correspondem com a cultura que ela propaga, a chance de aumentar o engajamento dos colaboradores é muito maior. Afinal, isso pode melhorar o relacionamento deles com líderes e equipe, aumentar a sua satisfação com cargo, remuneração, etc. Os funcionários irão saber o que esperar da organização, fator que aumenta a sua credibilidade.

Quais os 4 tipos de cultura organizacional?

Agora que você já entendeu o que significa o conceito de cultura empresarial e sua importância, é preciso saber em qual tipo de cultura a sua organização se encaixa. Um dos modelos mais famosos de identificação foi criado por Charles Handy, um filósofo irlandês especialista em comportamento organizacional. Veja abaixo:

1. Cultura de poder

Esse tipo de cultura engloba as empresas que são focadas em resultados. A liderança é concentrada em apenas algumas pessoas, que devem ser capazes de influenciar toda a equipe de funcionários. Os colaboradores são incentivados a competirem entre si para atingir metas e objetivos. 

É um modelo muito comum em empresas pequenas, em que o poder costuma estar centralizado no próprio dono, que acaba acumulando diversas funções. No entanto, esse tipo de cultura possui algumas desvantagens. Apesar de ter uma hierarquia mais definida, ela limita o desenvolvimento dos colaboradores e da organização, pois poucas funções são delegadas. Isso pode gerar muitos conflitos internos, já que todas as decisões são centralizadas em poucas ou até mesmo uma única pessoa.

2. Cultura de papéis

A cultura de papéis é aquela que tem o seu foco nas funções que os colaboradores desempenham na empresa. Esse modelo possui uma estrutura hierárquica bem definida, sempre determinando qual a posição da pessoa na estrutura organizacional. 

É altamente orientado por regras, onde cada um já sabe o que deve fazer, sem flexibilidade na execução das rotinas. Em consequência disso, os profissionais acabam sendo mais acomodados, pois não há uma preocupação em fazer outras tarefas e crescer na empresa. Sua principal desvantagem é que não existe abertura para mudanças, inovações e transformações, o que afeta o crescimento do negócio.

3. Cultura de tarefas

Já a cultura de tarefas coloca profissionais específicos para cada tarefa. O foco está na realização de projetos, em que os responsáveis são aqueles que possuem capacidade de resolver os problemas encontrados, seja uma equipe completa ou apenas um indivíduo. Diferente dos modelos anteriores, o colaborador assume mais responsabilidades e tem liberdade para ser criativo e inovar na resolução de problemas.

Por isso, sua principal vantagem é o aumento da motivação dos colaboradores, que passam a ter um desempenho mais eficaz ao extrair o melhor de si. Contudo, os líderes podem ter dificuldade para ter um bom controle e monitoramento das tarefas, afinal, o funcionário não terá ninguém o observando toda hora.

4. Cultura de pessoas

Por fim, temos a cultura de pessoas. Nela, o foco está no colaborador, independente do cargo que ele ocupa. É um modelo que tem crescido bastante no mercado corporativo, pois possui muitas vantagens. 

O trabalho dos funcionários é valorizado, bem como a integração entre toda a equipe e o crescimento profissional. A empresa entende que ela só funciona com sucesso porque existem pessoas que são sempre incentivadas e valorizadas. Com isso, alguns benefícios surgem: atração e retenção de talentos, vantagem competitiva, diminuição do turnover, etc.

Agora que você descobriu como funciona cada tipo de cultura, é essencial saber identificar qual é a presente em sua empresa, pois isso irá definir escolhas importantes em seu negócio.

4 passos para implantar a cultura organizacional

Veja agora 4 passos importantes para implementar uma cultura em sua empresa:

1º passo: Encontre quais são os valores da sua empresa

Antes de tudo, é necessário definir quais valores serão a base da empresa. Por exemplo, se o intuito é ter uma conduta de integridade, a ética deve ser o valor principal. Para oferecer alta qualidade nos serviços, o profissionalismo deve entrar em cena. Seja qual for o foco, é preciso listar quais valores mais se identificam com ele, listando os elementos-chave.

Com essa definição em mãos, uma reunião deve ser feita com a equipe estratégica que ficará responsável por compartilhar esses valores em toda a empresa. O ideal é contar com colaboradores que já possuem uma postura semelhante ao que está sendo definido.

2º passo: Transmita os valores

As respostas encontradas no passo anterior devem ganhar visibilidade em tudo o que tem relação com a empresa. Sejam nas salas de reunião, eventos, canais, materiais, apresentações, etc. Dessa forma, tanto funcionários como clientes irão compreender quais são os valores do negócio.

3º passo: Incentive as boas práticas

Para reforçar a cultura já definida, é primordial que boas práticas sejam incentivadas, até mesmo com recompensas. Crie programas que irão reforçar os valores e estão de acordo com as prioridades da empresa. Por exemplo, se um dos focos é o aprendizado contínuo dos colaboradores e já existe um grupo que procura se aprimorar, é possível oferecer cursos gratuitos para essas pessoas, de forma que contribua mais ainda para o seu desenvolvimento.

4º passo: Monitore e aperfeiçoe a cultura empresarial

O último passo consiste em realizar um bom monitoramento da equipe para aperfeiçoar a cultura da empresa. Busque conhecer os seus colaboradores, entender a percepção que eles possuem sobre a organização. Dessa forma, os feedbacks podem ser uma grande ferramenta para o fortalecimento da cultura.

Como manter a cultura empresarial?

Separamos algumas dicas essenciais para não deixar a cultura empresarial acabar se perdendo na rotina de trabalho. Veja abaixo:

  • Tenha uma boa atração de talentos, utilizando sempre o Fit Cultural como critério de seleção. Ter um processo de recrutamento e seleção assertivo irá contribuir para a entrada de colaboradores que já se adequam à cultura da empresa;
  • Tenha políticas internas, normas e regras bem definidas (e expostas!) à todos os membros da empresa;
  • Conte com líderes que expressam fortemente os valores e missão do negócio.

Veja como a JobConvo valoriza as diferenças culturais de cada área da empresa

Além de todos os pontos citados, contar com uma plataforma de gestão de RH é fundamental. A JobConvo, por exemplo, identifica não só os valores gerais do negócio, mas também as diferenças culturais de cada área específica da empresa. Por exemplo, a área de marketing necessita sempre de profissionais criativos, altamente motivados e focados em resultados. Já aqueles que lidam com o setor financeiro, precisam ser mais práticos e objetivos. 

Ter essa análise de cada área é essencial. Quanto mais direcionado for o fit cultural do seu processo de recrutamento e seleção, mais assertivo ele será na contratação dos melhores profissionais. Com isso, a cultura é fortalecida, beneficiando cada área da empresa e todo o seu negócio.Gostou deste artigo? Se você deseja experimentar na prática as vantagens que um bom software de R&S pode oferecer, você pode solicitar uma demonstração GRATUITA do software da JobConvo. É só clicar aqui!

Sobre o autor

JobConvo

A JobConvo foi desenvolvida para crescer com a sua empresa – fornecendo os recursos e a flexibilidade de que você precisa em cada estágio. Se a sua empresa possui 1 ou 10.000 funcionários, pode contar conosco. Atualmente nossas soluções abrangem plataforma de Gestão para Processos de Recrutamento e Seleção e admissão digital, onde você pode gerir todo o processo com um sistema com inteligência artificial.

Sobre a JobConvo

Plataforma Líder em Gestão para Processos de Recrutamento e Seleção

  • Crie requisições;
  • Personalize e automatize as etapas dos processos;
  • Compartilhe as vagas em diversos canais;
  • Aplique testes técnicos;
  • Faça o Fit Cultural e a tendência de comportamento dos candidatos;
  • Analise as vídeo entrevistas;
  • Compartilhe os finalistas com gestores;
  • Analise os relatórios;
  • Faça a admissão digital.

Saiba mais