O RH têm buscado cada vez mais ferramentas estratégicas que os auxiliem a encontrar os profissionais mais adequados ao perfil da empresa durante o processo de R&S. Uma dessas ferramentas é a entrevista semiestruturada.

Esse tipo de entrevista está cada vez mais presente nas organizações e tem proporcionado ótimos resultados durante a escolha de candidatos. Se trata de uma conversa mais espontânea e flexível do que o método tradicional — conhecido como entrevista estruturada.   

Esse modelo pode trazer informações valiosas aos gestores e assim contribuir para a eficiência de todo o processo. Continue acompanhando a leitura e saiba tudo sobre esse tipo de entrevista e como ela funciona. Confira! 

O que é uma entrevista semiestruturada?

A entrevista semiestruturada é um tipo de entrevista que permite que o entrevistador tenha um roteiro de perguntas, mas que também tenha a liberdade para sair do roteiro e reagir elaborando novas perguntas de forma espontânea — desde que não se perca o foco da conversa. Esse modelo flexível permite que o recrutador explore mais o perfil do candidato e chegue a um levantamento mais abrangente de informações.

Esses questionamentos improvisados surgem conforme as informações vão sendo obtidas durante o diálogo. Com isso, muitos assuntos podem surgir durante a entrevista. Isso é um fator que contribui para que o recrutador consiga tirar todas as suas dúvidas e consiga avaliar melhor as competências do candidato. 

Quais são os tipos de entrevista?

Antes de entendermos mais sobre como funcionam as entrevistas semiestruturadas, é importante sabermos diferenciá-las dos outros modelos para que não haja confusão com os termos. Veja abaixo as diferenças entre os principais tipos de entrevista:

Entrevista estruturada

É o modelo de entrevista que é guiado por um roteiro de perguntas previamente estabelecidas para todos os candidatos. Isso não significa que a entrevista precise seguir o roteiro copiosamente, mas sim abordar questões e temas principais que já foram definidos antes pelo recrutador. Nessa definição, deve conter as perguntas mais importantes e não há abertura para a flexibilidade dos temas abordados. 

Entrevista não estruturada

Em oposto a entrevista estruturada, a entrevista não estruturada permite que o recrutador tenha autonomia para definir as perguntas a serem realizadas de acordo com cada candidato. É um modelo totalmente flexível em que se pode ter liberdade para fazer questionamentos que aparentam ser pertinentes durante a conversa.

Entrevista semiestruturada

Já as entrevistas semiestruturadas, que é o tema central deste artigo, é o equilíbrio entre os dois modelos anteriores. Tem sido o modelo mais utilizado pelos setores de RH das empresas. Continue acompanhando para entender melhor como funciona este modelo!

Quais são as principais características das entrevistas semiestruturadas?

Listamos abaixo as principais características e aspectos desse tipo de entrevista. Confira:

  • Utilização da combinação de perguntas abertas e fechadas;
  • Base das perguntas já predefinidas;
  • Perguntas iniciais genéricas com frases que contém “o que”, “como”, “quando” e “por que?”, e ao decorrer da entrevista novos questionamentos vão surgindo; 
  • Improviso e condução da entrevista para questões que são mais pertinentes no momento e para os pontos de interesse;
  • Perguntas que façam com que o candidato se expresse mais;
  • Diálogo informal e flexível;
  • Possibilidade de uso de ferramentas visuais para deixar o candidato mais confortável (cartões, fotografias, etc.).

Vantagens e desvantagens das entrevistas semiestruturadas

Confira abaixo quais são as vantagens e desvantagens deste modelo:

Vantagens

Como já dito anteriormente, a flexibilidade é uma das maiores vantagens desse modelo de entrevista. Porém, existem outros benefícios. Confira abaixo:

  • Obtenção de respostas espontâneas e com mais sinceridade;
  • Facilidade de direcionamento para os temas pertinentes;
  • Avaliar a capacidade do candidato de responder questões inesperadas;
  • Evidenciar informações e conhecer melhor os candidatos através das perguntas que estão fora do roteiro;
  • Utilizar a comparação objetiva e a abordagem personalizada ao mesmo tempo;
  • Assertividade na avaliação.

Desvantagens

Apesar dos diversos benefícios, o RH precisa estar atento as seguintes desvantagens:

  • É um tipo de entrevista mais difícil de ser conduzida pela espontaneidade permitida. É preciso que seja realizada por um profissional qualificado e experiente para não perder o foco do diálogo;
  • Pelo motivo anterior, é comum que esses profissionais que irão entrevistar o candidato precisem de treinamentos;
  • O candidato deve sentir confiança no entrevistador para dar respostas valiosas e alcançar o objetivo proposto;
  • As análises pós-entrevista exigem mais tempo do RH.

Como realizar esse tipo de entrevista nas empresas?

Veja abaixo um passo a passo para realizar este modelo de entrevista nas empresas:

1. Pesquisa

A primeira etapa é começar o planejamento da entrevista através das pesquisas. O gestor precisa estudar sobre a descrição da vaga, as funções propostas para o cargo e quais são as expectativas da empresa em relação ao futuro colaborador. Assim, é possível seguir para o próximo passo.

2. Planejamento e elaboração das perguntas

Após as pesquisas, é preciso elaborar de fato o planejamento e definir as perguntas que serão utilizadas como base na entrevista. Essas perguntas precisam proporcionar uma conversa eficiente, que alcance os pontos de interesse e que possivelmente irão dar abertura para outras questões serem abordadas. Veja abaixo alguns exemplos: 

  • Como você soube desta vaga de emprego?
  • O que você sabe sobre a empresa?
  • O que você pode fazer pela empresa que outro candidato não poderia?
  • Por que você se considera a pessoa ideal para o cargo?

3. Realize a entrevista

Agora é a hora de realizar a entrevista. O entrevistador deve iniciar com as perguntas já estabelecidas e gradualmente conseguir transformar a conversa em um diálogo mais informal. É preciso transmitir confiança ao candidato para que ele se sinta livre para responder as questões que irão surgir de forma espontânea e, ao mesmo tempo, não deixar com que ele perca o foco do objetivo inicial.

Como ter mais assertividade no R&S?

O processo de recrutamento e seleção é de grande importância para o RH e precisa ser assertivo para não gerar prejuízos na organização. A dica para otimizar esse processo e escolher os candidatos ideais é a utilização de softwares de RH

O software JobConvo, por exemplo, conta com o uso da inteligência artificial, que permite listar os candidatos mais apropriados de acordo com o grau de afinidade em relação à vaga e a empresa. Além de muitos outros benefícios como: divulgação de vagas, vídeo entrevistas estruturadas, análise Fit Cultural, entre muitos outros. 

Para experimentar todas essas vantagens, você pode solicitar uma demonstração GRATUITA e ver na prática como otimizar todo o processo de R&S. Clique aqui!