O setor de RH têm buscado cada vez mais ferramentas para se tornar um departamento otimizado e estratégico. A implementação do plano de cargos e salários (PCS) é uma das rotinas de RH utilizadas para auxiliar neste processo. 

Afinal, ele permite que tanto a empresa, quanto o próprio colaborador enxergue o caminho que o profissional pode trilhar dentro da organização. Com isso, é possível fazer a criação de um plano de carreira eficiente para planejar o desenvolvimento de toda a equipe.

Porém, muitos gestores ainda não sabem como implementar o plano de cargos e salários, não entendem corretamente como ele funciona ou não sabem qual o seu verdadeiro foco. Continue acompanhando a leitura e tire todas as suas dúvidas sobre a sua função e como aplicá-lo na empresa!

O que é plano de cargos e salários?

O plano de cargos e salários, também conhecido pela sigla PCS, é uma ferramenta utilizada pelo RH que consiste em estabelecer uma definição detalhada de cada cargo da empresa e seus respectivos salários. Através de uma avaliação precisa, os cargos são definidos de acordo com sua relevância na organização e os salários são alinhados de acordo com as funções, responsabilidades e também com o comparativo ao mercado de trabalho. 

Através dessa ferramenta, a empresa pode tomar decisões sobre promoções e reajustes de salário de forma mais clara e estratégica, visando o crescimento de cada colaborador e também a retenção de talentos. Confira abaixo os fatores que costumam fazer parte do plano de cargos e salários:

  • Estrutura de cada cargo com suas exigências e competências necessárias;
  • Pesquisas internas e de mercado;
  • Política salarial;
  • Progressão de carreira vertical e horizontal (promoções, ajustes, etc.);
  • Recrutamento interno.

Plano de cargos e salários X Plano de carreira

Antes de entendermos como funciona um plano de cargos e salários, é importante saber que ele não é a mesma coisa que um plano de carreira. Muitos gestores ainda confundem os dois termos, mas é preciso entender a diferença entre eles. Confira abaixo:

Plano de carreira

O plano de carreira é um benefício da empresa dado aos seus colaboradores. O profissional pode saber por quais etapas e hierarquias ele pode assumir e por quanto tempo ele ficará em cada uma delas. Além disso, também é especificado quais serão as competências necessárias para alcançar os novos cargos. No plano de carreira, o foco é totalmente no colaborador.  

Plano de cargos e salários

Já o plano de cargos e salários tem seu foco na organização. Ele é um relatório mais técnico que define os cargos e funções existentes na empresa, as competências exigidas e a média salarial de cada profissional.

Por que implementar um plano de cargos e salários?

A implementação do plano de cargos e salários é fundamental para que haja um padrão nos cargos da empresa. Esse fator é essencial para estabelecer igualdade entre os colaboradores, contribuindo para que não haja desentendimentos ou injustiças. O plano também deixa claro as funções e responsabilidades de cada profissional, o que facilita a definição dos níveis salariais.

Com essa estrutura bem elaborada e detalhada das funções, o plano de cargos e salários irá auxiliar a construção de um bom plano de carreira, que irá oferecer de forma objetiva as possíveis promoções de cada profissional e os critérios necessários para isso, proporcionando o seu desenvolvimento e progresso na carreira. Essa prática da empresa irá motivar toda a sua equipe, trazendo melhores resultados e muitos benefícios para os negócios.

Além disso, o plano também gera retornos financeiros para a organização. Isso porque há uma definição pré-estabelecida dos investimentos necessários para projetar o crescimento da equipe de acordo com os recursos existentes, evitando prejuízos na economia da empresa.

Quais são os benefícios do plano de cargos e salários?

Como dito no tópico anterior, o plano de cargos e salários traz diversos benefícios para a empresa. Mas, quais são eles? Confira abaixo os principais:

1. Retenção e atração de talentos

Um dos principais benefícios gerados pelo plano de cargos e salários é a retenção de talentos. Isso porque a definição das funções visando o crescimento e progresso na carreira dos colaboradores é uma ferramenta poderosa para contribuir que os melhores profissionais permaneçam na empresa. Além da empresa passar a ter uma boa impressão no mercado e atrair novos talentos.

2. Diminuição do turnover

O segundo benefício também têm ligação com a permanência dos colaboradores na organização. O plano de cargos e salários proporciona tantos benefícios aos profissionais, como o progresso de suas carreiras, que faz com que eles queiram continuar na empresa e almejem crescer na empresa se baseando no plano. Isso diminui a rotatividade de colaboradores e traz redução na taxa de turnover.

3. Melhora no desempenho e produtividade

Ao estarem em uma empresa na qual há possibilidades já definidas de crescimento, reajustes e mudanças de cargos, os colaboradores reagem de forma positiva para alcançar novas posições. Assim, eles ficam mais engajados, há uma melhora na performance e também um aumento na produtividade de toda a equipe. Além de trazer satisfação e senso de justiça aos colaboradores por conta da transparência da empresa ao lidar com esse assunto.

4. RH mais estratégico

Por fim, o plano de cargos e salários contribui para um setor de RH mais estratégico. Como já dito, ele é uma ótima ferramenta para gestão de pessoas. Com ele, é possível desenhar o perfil e as competências de cargos estratégicos, mantendo o equilíbrio interno dentro da organização. Esse fator também diminui o efeito arbitrário ao precisar tomar decisões em determinação de salários.

Como fazer um plano de cargos e salários?

Afinal, como implementar e fazer um plano de cargos e salários? Preparamos um passo a passo para te auxiliar nesta tarefa. Confira abaixo:

1º passo: identificação e descrição dos cargos

O primeiro passo para estabelecer um plano de cargos e salários é a estruturação dos cargos existentes na organização. É preciso fazer um levantamento de todas as atuais funções e também uma análise detalhada dos dados coletados.

Essa definição pode ser feita em uma reunião com os gestores e as informações podem ser coletadas por meio de entrevistas ou questionários feitos aos colaboradores. Neste questionário, cada profissional pode falar sobre o seu cargo e descrever as suas tarefas diárias na empresa.

Com essas informações em mãos, os gestores podem fazer análises precisas, verificar se todas as funções estão de acordo com a definição atual e padronizar cargos distintos que exercem a mesma função. 

Confira abaixo algumas perguntas que podem ser feitas nesse questionário e que podem auxiliar essa tarefa do RH:

  • Cargo que ocupa:
  • Cargo do seu superior imediato:
  • Quais são as suas tarefas na empresa? Descreva cada uma delas separadamente e em ordem de importância (O que é feito, como é feito e para que é feito).
  • Com qual a frequência as tarefas descritas anteriormente são realizadas? (Diárias, mensais, trimestrais, semestrais ou anuais). 
  • Qual nível de instrução mínimo que você considera o necessário para ocupar seu cargo? 
  • Quais os conhecimentos necessários para realizar as tarefas do cargo?
  • Qual tarefa do seu cargo você considera a mais complexa? Por quê?
  • Como o seu superior controla o seu trabalho?

2º passo: definição de competências

O segundo passo é fazer a avaliação e definição das competências necessárias para cada cargo. É preciso fazer uma análise do que o profissional ocupante de cada cargo deve ter ou tenha que desenvolver. É importante definir as competências equilibrando as habilidades técnicas e comportamentais.

Este fator é essencial para deixar de forma clara aos colaboradores o que eles precisam desenvolver e qual é a expectativa da organização em relação ao progresso deles. Além de auxiliar os futuros processos de recrutamento e seleção, pois as competências essenciais já vão estar definidas.

3º passo: avaliação dos cargos

A próxima etapa é pegar a lista com os cargos atuais já definidos e atribuir valor a cada um deles dentro da empresa. Nesta fase, é importante separar cada cargo de acordo com a sua relevância e hierarquia. Isso irá facilitar a futura definição dos salários. 

A dica é estruturar os fluxos e construir um organograma com as hierarquias para facilitar a avaliação e a realização dos próximos passos. O método mais simples de avaliação de cargos costuma ser o não quantitativo por escalonamento, mas existem outros como os quantitativos por meio de pontos ou comparação de fatores. O RH precisa definir qual o mais adequado para aplicar no plano de cargos e salários da organização.

4º passo: estrutura salarial

O próximo passo para elaborar um plano de cargos e salários envolve 3 etapas importantes: pesquisa salarial de mercado, pesquisa interna e construção da política salarial da empresa. Veja abaixo:

Pesquisa salarial de mercado 

Nesta etapa, o RH precisa fazer pesquisas para saber quais são os salários e benefícios que o mercado de trabalho oferece para cargos iguais ou semelhantes aos da empresa. Esta tarefa é uma ação totalmente estratégica e faz com que a organização esteja dentro da realidade proporcionada pelo mercado. 

Caso a empresa não consiga informações de outras empresas, o RH pode procurar sites de emprego que possuem a média salarial dos cargos em suas respectivas regiões. 

Esta tarefa irá auxiliar a empresa a fazer a mensuração da competitividade salarial, onde os salários devem estar de acordo com o mercado ou até mesmo um pouco acima. Assim, a organização pode sair a frente de seus concorrentes e atrair profissionais talentosos.

Pesquisa interna

Após a pesquisa de mercado, o RH precisa fazer uma análise sobre a atual realidade da organização em seus aspectos econômicos. É preciso analisar o quanto será possível investir em aumentos salariais, benefícios, etc. Afinal, a empresa não pode sair no prejuízo e nem deve comprometer sua lucratividade. 

Outro ponto importante é avaliar se cada colaborador considera seu salário justo ou não e o motivo da resposta. Com essas informações, será possível partir para a próxima etapa.

Elaboração da política salarial

Já com as pesquisas e todos os outros dados das etapas anteriores em mãos, a empresa pode então definir as faixas salariais de cada cargo. A construção da política salarial visa padronizar os salários de cada função e estabelecer regras em relação ao gerenciamento dos salários. 

Assim, é possível já possuir critérios pré-definidos para progressão, ajuste de salários, entre outros processos. É fundamental que toda a equipe conheça a política salarial e não tenha dúvidas das normas e procedimentos estabelecidos.

5º passo: elaboração do plano de cargos e salários

Chegou a momento de finalizar o processo e consolidar de fato o plano de cargos e salários. Nesta etapa final, todos os dados e informações anteriores devem ser unidos para efetuar a construção do plano. 

Após tudo já estar estruturado, o PCS deve ser consolidado por meio de algum documento físico ou digital e deve conter todos os detalhes sobre as novas definições.

6º passo: apresente o plano de cargos e salários aos colaboradores

Por fim, o plano de cargos e salários deve ser apresentado a todos os colaboradores da empresa. Eles precisam ter uma visão clara de todas as definições: política salarial, competências e exigências necessárias para o seu progresso na organização, como podem se desenvolver e todas as informações necessárias para que haja total transparência e não haja mal entendidos ou dúvidas.

O documento que contém o plano deve estar sempre disponível para a consulta de toda a empresa, principalmente para aqueles que irão entrar após a apresentação já feita pelos gestores.

A implementação de um plano de cargos e salários consiste em diversas etapas e pode parecer uma tarefa longa e complicada. O segredo está em ter uma excelente organização no projeto e colaboração de toda a empresa. Cada um terá sua contribuição nesta tarefa e assim serão beneficiados por todas as vantagens que o plano pode oferecer.

Agora que você já aprendeu como implementar um plano de cargos e salários, a próxima etapa é colocar em prática esse projeto na sua empresa. Gostou deste artigo? Que tal continuar a leitura e aprender um pouco mais sobre o que é plano de carreira e como ele funciona? Clique aqui para acessar!