Recrutamento externo: o que é e suas principais vantagens

5 (100%) 1 vote

O recrutamento externo ainda é o modelo mais tradicional de seleção. O motivo é simples: essa modalidade traz inúmeros benefícios tanto para o departamento de RH, como para a empresa como um todo.

Então, se você quer entender melhor como funciona o recrutamento externo e quais são as vantagens de investir nessa forma de contratação, você chegou até o artigo certo!

A busca pelo profissional perfeito para o preenchimento de uma vaga não é tarefa fácil. Além de conseguir atrair candidatos interessados em trabalhar na empresa, é preciso considerar uma série de fatores que apontam se os profissionais se encaixam no perfil da organização.

Justamente pelos obstáculos encontrados no processo seletivo, muitos departamentos de RH (Recursos Humanos) investem no recrutamento interno.

Essa modalidade consiste na busca de profissionais para preencher uma vaga dentro do próprio quadro de colaboradores. Ou seja, é aproveitado o capital humano que já existe na empresa, realocando funcionários que você acredita que atuariam melhor em outra área.

O recrutamento interno costuma ser mais barato e rápido que outras modalidades, porém limita a interação com o mercado de trabalho e impede que novos talentos se juntem ao time, trazendo uma perspectiva de fora que pode beneficiar a empresa.

No caso do recrutamento externo, isso se torna possível!

Recrutamento externo: o que é e suas principais vantagens

Ao longo deste artigo, você verá como funciona essa modalidade, por quê você deveria investir nesse formato e quais são as principais técnicas para aprimorar o fluxo de trabalho.

Em primeiro lugar, vamos responder à pergunta:

O que é o recrutamento externo?

Essa modalidade de processo seletivo busca candidatos para preencherem uma vaga no mercado de trabalho, ou seja, fora da empresa. Para isso, você precisa entender exatamente quais são os requisitos do cargo, as atribuições do profissional e o perfil do departamento.

Geralmente, o recrutamento externo funciona de acordo com alguns passos. São eles:

Análise da vaga

Em conjunto com o gestor, o profissional de RH lista todos os requisitos mínimos que devem ser atendidos pelos candidatos, como por exemplo a escolaridade, conhecimentos técnicos imprescindíveis para execução das atividades, fluência em idiomas, etc.

Essas informações são utilizadas para criar a descrição da vaga. Todos esses itens devem ser bastante claros para que os interessados consigam enxergar se têm ou não o que é preciso para integrar o processo seletivo.

Divulgação da vaga

O segundo passo é a divulgação da vaga para atração de candidatos. Isso pode ser feito em diversos canais de comunicação, sendo que os mais comuns são:

  • Plataformas de busca por emprego (como Catho, InfoJobs, Vagas, etc);
  • Redes sociais, principalmente o LinkedIn;
  • Agências de talentos;
  • Universidades;
  • Sindicatos e outros.

Ao demonstrar interesse pela vaga, os candidatos podem enviar suas informações para que sejam analisadas por você.

Início das entrevistas

Existem muitas formas de entrevistar um candidato durante o recrutamento externo. Geralmente, o primeiro contato é feito por telefone e são recolhidas informações básicas sobre os candidatos. A ligação funciona como uma forma de confirmar os dados que constam no currículo.

Depois, são agendadas entrevistas que podem ser em grupo ou individuais. A grande vantagem das dinâmicas em grupo é que você pode analisar o comportamento dos candidatos quando eles precisam trabalhar em grupo e interagir com outros profissionais. A entrevista individual, porém, permite perguntas mais diretas para análise dos interessados.

Por último, é agendada uma entrevista com o gestor da vaga. Essa etapa é muito importante porque o líder será responsável pela atuação do profissional, então é interessante que ele tenha o poder de decisão do candidato ideal.

Contratação

A última etapa do recrutamento externo é a contratação do profissional escolhido. Essa fase é mais burocrático e envolve o recolhimento da documentação necessária e encaminhamento dos processos necessários para que o profissional comece a atuar na organização.

Também é possível investir no recrutamento misto, modalidade na qual a busca por candidatos é realizada tanto dentro do quadro de colaboradores como no mercado de trabalho. Esse modelo é ideal para vagas que precisam ser preenchidas rapidamente, já que a gama de profissionais que podem ser contratados é maior.

Como já mencionamos, o recrutamento externo costuma ser mais longo e caro do que o interno, já que você não conta com profissionais que já atuam na empresa para preencher o cargo. Logo, é preciso investir em recursos para atrair os candidatos do mercado e tempo para realização de todo o processo.

Então por que você deveria investir nessa modalidade?

Vantagens do recrutamento externo

Dentre as principais vantagens desse modelo de processo seletivo, vale destacar:

  • A maior disponibilidade de candidatos para que você possa escolher o ideal, já que existem muitos profissionais buscando novas oportunidades no mercado;
  • O recolhimento de dados sobre profissionais capacitados para formar um histórico de seleção. Mesmo que um determinado candidato não seja compatível com a você consegue armazenar informações sobre ele para processos seletivos futuros, otimizando o tempo na próxima oportunidade;
  • A integração de novos talentos ao quadro de funcionários. Colaboradores que estão começando a trabalhar na empresa podem trazer novas visões do mercado de trabalho e apontar oportunidades de melhoria que nem sempre são vistas por quem já está acostumado com o modelo de atuação da empresa;
  • A criação de um relacionamento com o mercado de trabalho, o que facilita o acompanhamento das novas tendências do setor e uma visão do tipo de profissionais que atuam na área;
  • A integração de novos talentos permite que você se coloque à frente da concorrência, conquistando os melhores profissionais do mercado de trabalho para o seu quadro de funcionários e;
  • A criação de um time diversificado, com profissionais que têm perfis diferentes e atuam em conjunto para alcançar todos os objetivos da organização com sinergia, empatia, produtividade e motivação.

Como você pode ver, investir no recrutamento externo é uma ótima oportunidade de aprimorar o quadro de funcionários da empresa e garantir o preenchimento da vaga com um profissional capacitado que trará inúmeros benefícios para a organização.

Dicas para otimizar o recrutamento externo

Considere a cultura da empresa

Ao contratar um candidato para uma vaga, você precisa lembrar que além de ter os conhecimentos técnicos necessários, ele precisa também se identificar com a missão, visão e valores da empresa.

Toda corporação conta com um conjunto de ideias que constroem a cultura organizacional e você precisa ter a certeza de que o candidato escolhido se identifica com esses ideais para embarcar no time.

Invista em softwares de recrutamento

Existem diversos softwares disponíveis no mercado que ajudam você a melhorar os processos seletivos. Com a ajuda dessa plataforma, é possível sistematizar informações sobre os candidatos, manter um histórico de cada processo e otimizar atividades manuais, como por exemplo o envio de e-mails e ligações de feedback.

Além disso, o software permite que você crie testes online (de personalidade, conhecimentos gerais, conhecimentos técnicos, idiomas, etc) e otimize o tempo de recrutamento, já que existe a possibilidade de pular etapas presenciais.

Alinhe todas as etapas com o gestor da vaga

O líder do departamento é responsável por toda a equipe e, por isso, ele é parte essencial do processo seletivo para contratação de um novo membro. O RH deve alinhar todas as etapas com esse gestor para assegurar a escolha do candidato ideal.

Acompanhe a contratação até o fim

Por último, lembre-se de que mesmo após a contratação do funcionário ainda é responsabilidade do departamento de recursos humanos e gestão de pessoas acompanhar a integração desse profissional para diminuir o turnover.

Essa métrica mede a quantidade de funcionários que deixam a empresa após o período de experiência. Além de gerar retrabalho no processo seletivo, o abandono implica em pontos de atenção no processo de integração de novos colaboradores.

Após a contratação, o ideal é que sejam realizadas atividades para que o profissional conhece a empresa, seus processos e colegas de trabalho. Devem ser oferecidos os treinamentos necessários para a execução das tarefas e o colaborador deve confiar no RH como uma fonte de comunicação transparente, disposta a ajudá-lo no que for preciso.

O funcionário deve se sentir parte da empresa logo nas primeiras semanas de atuação para garantir a motivação no novo emprego.

Seguindo esses passos e dicas, você perceberá que o recrutamento externo pode ser o melhor amigo dos processos seletivos. Se o seu objetivo é construir um quadro de colaboradores que veste a camisa da empresa e trabalha com motivação para alcançar todas as metas estabelecidas pela organização, a busca de candidatos experientes no mercado de trabalho pode ser o caminho mais rápido para a consolidação de um time vencedor.

Gostou desse artigo? Então não deixe de conferir nossos outros conteúdos com mais dicas de recrutamento e seleção, vantagens e desvantagens de cada modalidade de processo seletivo, dicas sobre gestão de pessoas e muitos outros assuntos relacionados à esse universo. Lembre-se de que o aprimoramento contínuo é essencial para que tanto a empresa como você cresçam profissionalmente.

Aproveite também para tirar dúvidas e deixar sugestões de temas para as próximas semanas no espaço abaixo!

Agora que chegou ao fim do nosso guia, siga também para ler outros artigos deste assunto:

Técnicas de Recrutamento e Seleção 

Indicadores de recrutamento e seleção

Qual é a diferença entre recrutamento e seleção de pessoas ? 

Recrutamento e Seleção: O que é, etapas, estratégias e técnicas

Tipos de recrutamento e seleção: quais são e como funcionam?