Teste MBTI: Como aplicar para otimizar o processo de seleção

Teste MBTI: Como aplicar para otimizar o processo de seleção

Cada vez mais o RH utiliza diferentes testes e parâmetros na hora de tornar mais assertiva a contratação de novos colaboradores para empresas. Um dos testes que vem ganhando cada vez mais notoriedade entre profissionais de recursos humanos é o teste MBTI.

Ele é uma ferramenta muito utilizada para identificar a personalidade dos candidatos. É um teste clássico, em que o indivíduo escolhe as frases que melhor  se adaptam às suas preferências. Por exemplo, questões como “Você se considera mais prático do que criativo” costumam aparecer nos questionários MBTI, resultando em 16 tipos de personalidade possíveis.

Esse método de avaliação está presente no processo seletivo de diversas empresas por todo o mundo, mostrando sua confiabilidade e relevância no mercado. Para descobrir tudo sobre esse teste de personalidade e quais são os seus benefícios, é só continuar acompanhando a leitura!

O que é MBTI?

O termo MBTI é a sigla para Myers Briggs Types-Indicator, ou, em português, a classificação tipológica de Myers Briggs. Trata-se de um instrumento de identificação de características, traços de personalidade e preferências pessoais. O teste MBTI é baseado nas teorias de Carol G. Jung sobre Tipos Psicológicos. 

O indicador foi desenvolvido por Katharine Cook Briggs e sua filha Isabel Briggs Myers durante a Segunda Guerra Mundial. Essa metodologia  tem sido utilizada há mais de 80 anos em empresas ao redor do mundo para a melhor compreensão de colaboradores, seja do quadro atual de funcionários ou durante a seleção de candidatos.

A natureza da teoria desse indicador é que as muitas variações no comportamento humano que, aparentemente são aleatórias, na verdade são consistentes. Isso se deve às diferenças básicas nas formas preferidas pelas quais os indivíduos usam na percepção e julgamento.

Na avaliação MBTI, são definidos 16 tipos de personalidade. Dentro de cada um, são levados em consideração diversos fatores como  pontos fracos e fortes, características, potenciais e preferências. Dessa maneira, é possível compreender as ações de cada um em diferentes ocasiões e momentos.

Durante a avaliação, o indivíduo é questionado com base em dicotomias de método. Perguntado sobre situações que preferia estar (extroversão ou introversão), como processa informações (sensorial ou intuição), como toma decisões (razão ou emocional) e como se estrutura para lidar com o que está acontecendo ao seu redor  (julgamento ou percepção). Todas as possíveis combinações distinguem as personalidades de cada um.

O MBTI é uma das avaliações de personalidade mais utilizadas no mundo. São  até dois milhões de avaliações administradas anualmente. Os defensores desse método afirmam que ele atende ou, até, ultrapassa a confiabilidade de outras avaliações  psicológicas que incluem relatos do comportamento individual.

Como funciona o teste MBTI?

A aplicação do teste MBTI pode ser realizada através de um questionário digital ou impresso, normalmente fornecido por empresas licenciadas. Após o preenchimento do formulário, os dados são tabulados e geram um relatório final com os resultados do candidato.

A documentação final gerada, contém informações detalhadas sobre o tipo psicológico, comportamento, preferências e tendências para a solução de problemas, além de pontos fortes e fracos.

As respostas do questionário podem ser respondidas pelo indivíduo de acordo com uma escala que possui as seguintes opções:

  • Concordo totalmente;
  • Concordo em parte;
  • Indiferente;
  • Discordo em parte;
  • Discordo totalmente.

As respostas irão resultar em uma combinação de 4 letras (dentre 8 possibilidades), que definirá uma classificação lógica para cada tipo de personalidade. Cada letra tem relação com uma dimensão, que abordaremos no próximo tópico. Continue acompanhando!

Quais são as dimensões do MBTI?

O teste MBTI se baseia em quatro dimensões essenciais de tipos psicológicos. São elas:

  • Extroversão (E) / Introversão (I);
  • Sensação (S) / Intuição (N);
  • Pensamento (T) / Sentimento (F);
  • Julgamento (J) / Percepção (P).

Essas quatro dimensões de pares representam a metodologia do uso de nossa energia, desde o momento em que se coletam informações até a chegada de conclusão. Veja abaixo o significado de cada uma delas:

Extroversão (E) / Introversão (I)

Na primeira dimensão, o MBTI determina a maneira como buscamos a energia para agir e interagir com o mundo. Dessa forma, a tendência é a escolha por um dos polos opostos. 

O polo da extroversão corresponde a pessoas que obtêm a energia por meio da interação interpessoal. Geralmente, esses indivíduos se sentem mais estimulados pela convivência social e compartilham diálogos internos com as pessoas ao redor. Com isso, eles desenvolvem mais facilmente suas relações interpessoais.

No polo da introversão, estão as pessoas que se energizam diretamente com seu diálogo interior. Trata-se de indivíduos mais quietos que precisam ficar sozinhos para o desenvolvimento de suas ideias, encarando intervenções exteriores como ruídos.

Esse tipo de pessoas podem ter problemas de comunicação, dependendo do nível de foco na relação interpessoal.

Sensação (S) / Intuição (N)

Essa segunda dicotomia do MBTI diz respeito ao modo de como é a percepção do mundo e a busca de informações, além da interpretação que domina a mente. Dessa forma, é necessária a escolha entre dois lados – o sensorial e o intuitivo.

O campo sensorial é típico de pessoas que acreditam apenas no que veem e escolhem aquilo que já funcionou antes, ou seja, trata-se de uma caracterização de personalidades que preferem informações tangíveis e concretas, captadas e processadas pelos cinco sentidos humanos. 

Já o polo intuitivo, marca personalidades que se identificam com informações teóricas e abstratas, seguindo uma espécie de sexto sentido em suas escolhas. São pessoas criativas, dinâmicas que gostam de inovar continuamente.

Pensamento (T) / Sentimento (F)

Nessa terceira dicotomia do MBTI, as pessoas são divididas de acordo com seu processo de tomada de decisão. 

Do lado do pensamento, estão os racionalistas, que decidem principalmente com base na lógica e são capazes de enxergar a solução dos problemas. São pessoas que confiam no seu raciocínio e preferem refletir solitariamente, sem qualquer tipo de interferência.

Na ponta do sentimento, estão pessoas que priorizam emoções e afetos na hora de tomar uma decisão. Normalmente, elas são empáticas e levam em conta a opinião de outras pessoas envolvidas no processo, preferindo assim, decisões coletivas.

Julgamento (J) / Percepção (P)

E por fim, na última e quarta dicotomia, temos a forma com que as pessoas preferem conduzir e experimentar sua vida. Logo, há dois estilos distintos de vida.

O julgamento, que é um polo capaz de atrair pessoas metódicas, que gerenciam seu tempo de maneira otimizada e valorizam o controle. 

Normalmente, essas pessoas possuem personalidades dominantes e não gostam de mudanças ou falta de organização.

Do outro lado, no polo perceptivo, estão pessoas que tendem a improvisar e levar uma vida mais tranquila e flexível. Essas pessoas exploram as possibilidades e são abertas às transformações, guiando suas vidas pela espontaneidade. 

As 16 personalidades do teste MBTI

Durante o teste, as dimensões que vimos anteriormente do teste MBTI irão resultar em 16 personalidades diferentes por meio da combinação de letras correspondentes a cada polo. Elas são divididas em quatro grupos:

  • Analistas;
  • Diplomatas;
  • Sentinelas;
  • Exploradores.

Para cada grupo desse, existem quatro tipos de personalidade. Confira abaixo quais são elas:

Analistas

Veja abaixo quais compõe o grupo dos analistas, conhecidos como os racionais:

  • INTJ: o “arquiteto”. Possui pensamento criativo e estratégico, sempre tendo um plano para tudo. São profissionais raros no mercado, representam 2% da população;
  • INTP: o “lógico”. Ele tem uma sede insaciável por conhecimento e inovação, sempre responsável por novas descobertas. Representam 3% da população;
  • ENTJ: o “comandante”. Sua principal característica é resolver desafios com ousadia, energia e criatividade. É carismático, confiante e extremamente racional. Representam 3% da população;
  • ENTP: o “inovador”. Personalidade marcada pela curiosidade e perspicácia, buscando sempre desafios.

Diplomatas

Agora confira as que fazem parte dos diplomatas, também chamados de idealistas:

  • INFJ: o “advogado”. É idealista, místico e reservado, porém inspirador. Possui opiniões fortes e busca sempre por aquilo que acredita. Representam menos de 1% da população;
  • INFP: o “mediador”. Uma pessoa poética, bondosa e altruísta. É tímido, reservado e guiado por seus princípios. Representam 4% da população;
  • ENFJ: o “protagonista”. Um líder carismático que hipnotiza as massas. Confia demais nas pessoas. Representam 2% da população;
  • ENFP: o “ativista”. Possui espírito livre e criativo. É altamente sociável e independente. Representam 7% da população.

Sentinelas

Os sentinelas também são conhecidos como os “guardiões”. Veja abaixo:

  • ISTJ: o “logístico”. É caracterizado pela sua responsabilidade e comprometimento. É uma das personalidades que mais engloba a população, com 13%;
  • ISFJ: o “defensor”. Costuma ser protetor e acolhedor, que possui senso de empatia. Representam quase 13% da população;
  • ESTJ: o “executivo”. Administrador nato com talento para gerenciar coisas ou pessoas. Representam 11% da população;
  • ESFJ: o “cônsul”. É sempre atencioso, popular, sociável e solícito. Representam 12% da população.

Exploradores

Por fim, temos o grupo dos exploradores, conhecidos como “artesãos”:

  • ISFP: o “aventureiro”. Flexível, ousado, busca experimentar novas coisas e contestar padrões tradicionais;
  • ESTP: o “empresário”. Inteligente, enérgico, que possui percepção aguçada e está disposto a arriscar. Representam 4% da população;
  • ESFP: o “animador”. Sempre entusiasmado, enérgico, sociável e espontâneo. Gosta de encorajar os que estão ao seu redor;
  • ISTP: o “virtuoso”. É prático e ousado, mestre em diversas ferramentas. Representam 5% da população

Principais vantagens do MBTI

Listamos abaixo as principais vantagens que o teste de personalidade MBTI pode proporcionar a um indivíduo e para os gestores que trabalham com o processo seletivo da empresa:

  • Apoio ao autoconhecimento;
  • Aponta diferentes tendências de comportamentos;
  • Providencia auxílio para lidar efetivamente com situações de estresse;
  • Ajuda a identificar traços de liderança;
  • Evidencia os valores de características pessoais;
  • Favorece o aumento do nível de integração entre pessoas com diferentes tipos de personalidade.

Quando o  MBTI pode ser aplicado?

Veja abaixo as principais situações que este teste pode ser utilizado:

  • Desenvolvimento individual;
  • Autoconhecimento individual e de equipes;
  • Desenvolvimento profissional com base em todos os valores;
  • Avaliação de tendências de atitudes e seus impactos nas equipes:

Para a empresa, a avaliação MBTI é vantajosa, pois com os resultados, se torna um método mais fácil de compreensão dos comportamentos psicológicos, particularidades de cada personalidade, preferências e estilo de trabalho de seus funcionários. Assim, a empresa pode trabalhar maneiras mais adequadas de lidar  e desenvolver o potencial de cada um.

Além disso, o MBTI pode ajudar na identificação das melhores formas de desenvolvimento de relacionamentos e aptidões, tanto para desenvolvimento pessoal quanto para o profissional. Com o resultado, cada um pode compreender melhor seus talentos, forças e fraquezas. Com o reconhecimento de seu tipo psicológico, o indivíduo se entende melhor, pode abraçar os seus pilares de personalidade para poder se ajudar em todos os âmbitos. Isso tudo pode fortalecer sua relação com sua equipe e, consequentemente, aprimorar sua carreira.

As pessoas são diferentes umas das outras, pensam diferente, agem diferente, o que pode causar muitos atritos e dificuldades no ambiente de trabalho. Quando uma equipe entende, principalmente através desses dados, qual é o tipo psicológico de cada um, é mais fácil entender o jeito de trabalhar com cada pessoa de maneira específica e com a rotina de uma equipe, reduzindo as chances de conflitos.

Aplicação do Teste MBTI na otimização dos processos de contratação

O uso de testes de personalidade tem sido cada vez mais comum nos processos seletivos. Geralmente, é realizada como uma das últimas etapas destes processos de seleção.

Essa avaliação é útil para auxiliar na escolha dos melhores candidatos, o que é fundamental, já que, em um processo seletivo bem feito, aumenta a chance de optar por alguém que se adequa ao perfil desejado. As empresas geralmente têm um tipo ideal de candidato e esses testes de personalidades são de grande ajuda na compreensão de como o candidato pensa e consequentemente, como se encaixa no objetivo procurado.  

Uma maneira bastante  utilizada para aplicar a análise é recorrer a ferramentas online. Assim, o candidato recebe um login e senha, podendo realizar o teste online dentro de um tempo estipulado previamente.

É importante ressaltar que a análise de personalidade dos candidatos evidentemente não deve ser o único critério na escolha do profissional, mas trata-se de um item que faz parte do processo de recrutamento e pode ter um peso importante na definição entre os finalistas para uma vaga, principalmente como critério de desempate.

A análise comportamental não substitui a avaliação de capacidades técnicas nem os processos de entrevistas e dinâmicas em grupos. Dependendo do tamanho da empresa, o processo seletivo talvez não tenha um número alto de etapas até a decisão final. No entanto, é certo que apenas a aplicação do teste de personalidade é um ótimo aliado de outras etapas mais específicas. Eles providenciam diferentes tipos de informações aos recrutadores, por isso a importância de se investir em um teste de MBTI.

Qual a diferença entre o MBTI e o Teste DISC?

O DISC é outro teste muito conhecido pelas empresas. No entanto, é comum que haja dúvidas de qual método escolher para descobrir a personalidade dos profissionais.

O DISC é resultado do trabalho de Willian Mouton Masterson. O teste classifica as pessoas em Dominantes, Influenciadores, Estáveis e Condescendente. Assim como o MBTI, ele também é uma excelente maneira de avaliar a personalidade e comportamento dos candidatos durante o recrutamento e seleção. Contudo, eles possuem algumas diferenças entre si. Veja abaixo quais são as principais:

Teste DISC

Confira as características do teste DISC:

  • Método rápido e simples;
  • Não é necessário seguir um rigor na quantidade de informações. É possível adicionar ou retirar o que for necessário conforme as necessidades;
  • Sua aplicação é mais fácil, pois não é necessário solicitar direitos de uso e pode ser aplicado em um tempo mais curto;
  • Fornece resultado mais rápido e de fácil entendimento.

Teste MBTI

Veja as características do teste MBTI:

  • Método de perfil comportamental mais abrangente e completo;
  • Rico em detalhes e descreve personalidades mais complexas;
  • Aplicação mais demorada;
  • É uma marca registrada, sendo necessário adquirir direitos de uso.

Agora que você já sabe tudo sobre MBTI, fica mais fácil entender como essa ferramenta pode impactar a sua empresa. Gostou deste artigo? Para continuar aprendendo sobre testes de personalidade, você pode conferir nosso artigo sobre teste de perfil comportamental. Até a próxima!

Sobre o autor

JobConvo

A JobConvo foi desenvolvida para crescer com a sua empresa – fornecendo os recursos e a flexibilidade de que você precisa em cada estágio. Se a sua empresa possui 1 ou 10.000 funcionários, pode contar conosco. Atualmente nossas soluções abrangem plataforma de Gestão para Processos de Recrutamento e Seleção e admissão digital, onde você pode gerir todo o processo com um sistema com inteligência artificial.

Sobre a JobConvo

Plataforma Líder em Gestão para Processos de Recrutamento e Seleção

  • Crie requisições;
  • Personalize e automatize as etapas dos processos;
  • Compartilhe as vagas em diversos canais;
  • Aplique testes técnicos;
  • Faça o Fit Cultural e a tendência de comportamento dos candidatos;
  • Analise as vídeo entrevistas;
  • Compartilhe os finalistas com gestores;
  • Analise os relatórios;
  • Faça a admissão digital.

Saiba mais