Conheça os diferentes tipos de recrutamento e seleção

Avalie

Definir a melhor forma de contratar um candidato é uma das maiores dificuldades dos profissionais de gestão de pessoas e recursos humanos, já que existem diferentes tipos de recrutamento e seleção. Entender as particularidades de cada modalidade é essencial para garantir que você fez a escolha certa.

Afinal, esse processo é uma das partes mais importantes das empresas. É por meio do processo seletivo que são encontrados candidatos ideais para uma determinada vaga, destacando profissionais que de fato contribuirão para o sucesso da organização e que se sentem motivados a dar o seu melhor para alcançar objetivos pessoais e profissionais.

É justamente por causa dessa relevância que a forma como são realizados os recrutamentos está mudando cada dia mais. Já é um fato de que um currículo impecável e experiências profissionais anteriores são fatores importantes, mas que devem ser combinados com diversos outros fatores para a construção de um quadro de funcionários eficiente.

Com o objetivo de assegurar a contratação dos candidatos ideais, o processo de recrutamento e seleção foi dividido em 4 modalidades com finalidades diferentes. Escolher o modelo ideal depende das suas necessidades, do perfil da empresa e de onde estão os profissionais que podem se tornar colaboradores.

Ficou curioso?

Vamos entender quais são os tipos de recrutamento e seleção:

O que é recrutamento e seleção?

Primeiramente, vamos definir exatamente o que é o recrutamento e seleção para que possamos dividí-lo nas 4 categorias.

Esse processo é responsável pela atração dos melhores candidatos para uma determinada vaga. Como citamos anteriormente, para isso são considerados diversos critérios e etapas.

Um processo eficiente segue alguns passos essenciais, como por exemplo:

– Conversa com o gestor da vaga para entender as atribuições da área, perfil dos colaboradores que já atuam na equipe e o que é esperado de um novo profissional;

– Triagem de currículos nos melhores canais, como plataformas online de busca por emprego, redes sociais (sendo que o LinkedIn é um grande aliado do recrutamento), veículos de comunicação da própria empresa e mais;

– Análise do perfil dos candidatos, considerando os requisitos mínimos para preenchimento da vaga, como escolaridade, cursos complementares e conhecimentos prévios;

– Análise de compatibilidade com a cultura da empresa, já que além de ser capaz de realizar as atividades da área, também é essencial que o candidato esteja de acordo com a missão, visão e valores da organização;

– Realização dos processos burocráticos da seleção, como entrevista de emprego, testes de personalidade, conhecimentos técnicos e qualquer outro necessário;

– Manutenção do diálogo com o gestor da vaga para garantir que o processo está no caminho certo e para que, eventualmente, ele possa decidir qual o melhor profissional para preenchimento da vaga;

– Fornecimento de atividades de integração do novo colaborador à empresa, como cursos e treinamentos obrigatórios, dinâmicas para que ele conheça seus colegas de trabalho, apresentação das metas e realizações da organização e qualquer outra técnica que faça com que o profissional se sinta motivado e vista a camisa do negócio.

Essas etapas são imprescindíveis para a criação e execução de um plano de recrutamento e seleção eficaz, capaz de identificar os melhores candidatos para preencher uma vaga, sempre respeitando as particularidades de cada posição em aberto no quadro de colaboradores.

Agora que você já sabe como funciona esse processo, chegou a hora de conhecer as 4 modalidades de recrutamento e seleção para que você possa escolher a melhor para os seus processos seletivos. Confira:

Recrutamento interno

O recrutamento interno é caracterizado por acontecer dentro da própria organização. Ele funciona da seguinte forma: é identificada uma vaga em aberto e os profissionais que podem preenche-la são buscados dentro do quadro de funcionários.

Ou seja, os candidatos potenciais já trabalham na empresa!

Esse tipo de recrutamento é bastante comum para casos onde profissionais de áreas correlatas desejam migrar de departamento e adquirir novos conhecimentos. É o caso do intercâmbio de conhecimento entre finanças e contabilidade, compliance e segurança da informação, comunicação interna e recursos humanos, dentre diversos outros exemplos.

Dentre as vantagens dessa modalidade, podemos citar:

– Engajamento dos funcionários, já que a contratação para uma vaga diferente culmina no desenvolvimento de sua própria carreira;

– A certeza de que o candidato se enquadra na cultura organizacional, visto que ele já é um colaborador;

– Baixo custo do processo seletivo, pois muitas etapas podem ser puladas ao optar por essa modalidade;

– Melhor aproveitamento das habilidades profissionais de um candidato ao vislumbrar a oportunidade de realocá-lo em uma vaga que está mais de acordo com a sua capacidade;

– A facilidade de já conhecer o histórico profissional do candidato;

– Custos menores de contratação, visto que todos os dados e informações importantes sobre o profissional já estão dentro da empresa e;

– A retenção de talentos, garantindo que bons profissionais permanecem dentro do time da organização.

É preciso ter em mente, porém, que esse tipo de recrutamento não exclui etapas importantes da seleção, como por exemplo a integração do funcionário.

Por mais que ele já conheça os valores da empresa, a mudança de equipe pode ser intimidante e é responsabilidade do gestor da vaga e da equipe de recursos humanos garantir que o colaborador se sinta parte importante do novo departamento.

Além disso, é importante garantir condições iguais de migração de área para os funcionários, evitando incentivar a desmotivação e descontentamento com o trabalho. A vaga deve ser divulgada nos canais de comunicação da empresa, como a intranet, com todas as especificações para que todos tenham a chance de tentar.

Recrutamento externo

Já o recrutamento externo caracteriza o modelo mais tradicional com o qual estamos acostumados. Ele é caracterizado pela busca de novos candidatos no mercado de trabalho, utilizando canais de comunicação externos, como por exemplo:

– Plataformas online de cadastro de currículo, como sites de busca de emprego e voltados para o recrutamento de novos candidatos;

– A seção de Trabalhe Conosco, muito comum no site da maioria das empresas. Nessa página, são exibidas as vagas em aberto e as informações de contato para os candidatos interessados;

– O LinkedIn, rede social corporativa que permite a publicação de novas vagas e o envio de currículo diretamente por meio da plataforma, e;

– A entrega física de currículos, que pode ser feita na recepção da empresa ou diretamente para os profissionais de recursos humanos.

Dentre as vantagens do recrutamento externo, destacam-se:

– A identificação de novos talentos, contribuindo para o crescimento contínuo da empresa;

– Mais opções de candidatos para o preenchimento da vaga, já que a gama de profissionais não é restrita ao quadro interno de funcionários;

– A possibilidade de que funcionários indiquem candidatos adequados para a vaga;

– Rejuvenescimento do quadro de colaboradores, trazendo candidatos de fora que podem conhecer diferentes técnicas, tecnologias e ferramentas que renovem os processos da empresa.

Como você pode ver, não é sem motivo que o recrutamento externo continua sendo uma das melhores opções quando o assunto são os processos seletivos.

O que você precisa ter em mente é que, como em todas as outras modalidades, o planejamento é uma parte muito importante da seleção.

É preciso compreender as particularidades de cada vaga para identificar os melhores canais de comunicação para atrair candidatos, estruturar um processo consolidado e integrar todos os envolvidos na contratação (RH, gestor da vaga, diretor da área, etc) para garantir a melhor escolha.

Recrutamento misto

A terceira modalidade de recrutamento e seleção é o processo misto, ou seja, que engloba ambos os modelos citados anteriormente.

Ao optar por esse tipo de processo seletivo, os candidatos ideais para a vaga são buscados tanto dentro do quadro de funcionários como no mercado de trabalho externo.

Uma das grandes vantagens desse modelo é que a gama de candidatos possíveis é muito maior, já que são considerados dois ambientes diferentes para atração de profissionais.

A vaga é anunciada tanto nos canais internos de divulgação e comunicação com colaboradores (intranet, quadro de avisos, etc), como nos canais tradicionais de busca por emprego, garantindo maior visibilidade.

Porém, uma das desvantagens do processo é justamente o fato de que ele costuma ser muito extenso. Como as chances de que muitas pessoas demonstrem interesse são grandes, você precisa estar preparado para que a seleção demore mais tempo do que nos outros casos para selecionar o candidato ideal.

O recrutamento misto pode ser feito de três formas diferentes:

– Prevalência do modelo interno, no qual primeiro buscam-se candidatos dentro do quadro organizacional e, caso a vaga não seja preenchida, a busca torna-se externa;

– Prevalência do modelo externo, onde acontece justamente o contrário. Primeiro, a vaga é anunciada para o mercado de trabalho externo e só no caso de não encontrarem um candidato ideal ela passa a ser válida para os colaboradores da empresa e;

Modelo concomitante: neste caso, o recrutamento interno e externo ocorre no mesmo momento, proporcionando chances iguais para candidatos de ambos os ambientes.

A definição do melhor modelo a ser seguido depende de diversos fatores, como tempo disponível para preenchimento da vaga, desejos e anseios do líder da área e verba disponível para realização do processo.

Recrutamento online

A última modalidade aposta na tecnologia para melhorar os processos de recrutamento e seleção nas empresas. A ideia é utilizar um software que otimiza as etapas do processo seletivo, contratação e manutenção do histórico dos candidatos.

Esse programa se torna responsável pelo processo de seleção. Por meio dele, é possível cadastrar informações sobre os candidatos, realizar testes online, solicitar a resposta de perguntas por meio de vídeo e até mesmo acelerar o processo de admissão quando o candidato for escolhido.

Dentre as grandes vantagens de investir nesse software, é possível ressaltar:

– A integração do software com diversas plataformas, como sites de cadastro de currículos e redes sociais;

– A possibilidade de divulgar as vagas por meio da própria plataforma, permitindo que candidatos interessados acompanhem a evolução de novas vagas em aberto;

– A geração de relatórios e painéis customizados, oferecendo uma visão sistêmica de todos os processos pelos quais você é responsável;

– A possibilidade de enviar e-mails de feedback automáticos em larga escala, evitando que os candidatos fiquem sem resposta e, na mesma medida, o tempo da sua equipe seja otimizado para que os colaboradores passem mais tempo na análise qualitativa dos candidatos, e não com atividades manuais;

– A criação de testes online, que podem ser de personalidade, conhecimentos gerais, conhecimentos técnicos e, basicamente, qualquer informação que você julgue necessária para a contratação e;

– O armazenamento de dados sobre os clientes, como nome, telefone para contato, e-mail, histórico profissional e resultados dos testes realizados. Assim, você consegue considerar o profissional para novas vagas que sejam abertas e talvez sejam mais adequadas para o seu perfil.

Os softwares de recrutamento e seleção representam o futuro da contratação, já que eles automatizam diversas atividades manuais, melhoram a qualidade do processo e facilitam a decisão de qual é a melhor opção para preencher uma vaga.

Porém, antes de investir na ferramenta, é preciso também garantir que a sua equipe está preparada para receber essa nova tecnologia e garantir a transição do processo de forma natural, evitando problemas relacionados à implantação do software.

Qual a melhor modalidade para a minha empresa?

Não existe uma resposta única para essa pergunta, já que cada empresa possui as suas particularidades e atua de formas diferentes.

Por mais que não seja uma tarefa fácil, escolher o melhor tipo de recrutamento e seleção para a sua organização é o primeiro passo para construir um quadro de colaboradores capaz de alcançar todas as metas determinadas pela empresa, ajudando no crescimento contínuo do negócio.

Não existe certo ou errado na hora de escolher um único modelo de processo, já que cada um é ideal para casos particulares. Por isso, antes de dar início ao processo, é importante entender a vaga para estruturar o planejamento e execução do fluxo de contratação.

Você ainda tem alguma dúvida relacionada ao tema? Deixe o seu comentário no espaço abaixo para que possamos ajudá-lo!

Agora que chegou ao fim deste artigo, siga também para ler outros artigos deste assunto:

Recrutamento Externo: O que é e como começar 

Recrutamento e Seleção: O que é, etapas, estratégias e técnicas

7 Técnicas de Recrutamento e Seleção para aplicar este ano

5 Indicadores de Recrutamento e Seleção para avaliar 

Qual é a diferença entre recrutamento e seleção de pessoas?

Processos de Recrutamento e Seleção 

Conheça nosso Software para Recrutamento e Seleção com Inteligência Artificial

Saiba mais