6 dicas para uma triagem de currículos mais efetiva

6 dicas para uma triagem de currículos mais efetiva

O aumento da busca por vagas de emprego exige que uma organização tenha um processo de triagem de currículos eficiente, o que irá economizar tempo, esforço e recursos do setor de RH.

Isso porque, quando surge uma oportunidade de emprego, as empresas costumam receber candidaturas em um número elevado. Para otimizar essa análise e torná-la mais assertiva e segura, é necessário aderir algumas práticas. Continue acompanhando a leitura e descubra quais são!

O que é uma triagem de currículos?

A triagem de currículos é a fase do processo de recrutamento e seleção que segmenta os candidatos com maior potencial. Nessa etapa, o recrutador faz uma análise dos currículos e escolhe os que apresentam as características e competências exigidas pela organização.

Ou seja, os documentos passam por recrutadores aptos para analisar os dados, comparando o perfil profissional e a experiência que ele possui no mercado com os requisitos da vaga de emprego disponível.

No processo de triagem de currículos, é necessário uma avaliação clara e objetiva. Para isso, é importante que o recrutador trabalhe com base em critérios bem definidos.

A partir da filtragem feita pelo time de recrutadores, a empresa elimina os currículos que não são compatíveis com o perfil, selecionando os candidatos que melhor se encaixam na vaga, tornando mais simples a seleção do colaborador ideal.

Qual é a importância da triagem de currículos?

No processo de recrutamento e seleção, a triagem de currículos é a primeira fase eliminatória. Por isso, é extremamente importante que o profissional de RH esteja atento às análises e ao perfil buscado pela empresa, se posicionando de forma estratégica para não perder talentos que podem elevar a performance do negócio.

Como realizar uma triagem de currículos? Principais critérios

Para aplicar uma triagem de currículos efetiva, é necessário seguir alguns critérios importantes. O primeiro passo é analisar as qualificações mínimas exigidas para a vaga. Depois, checar as preferências do candidato. Por fim, listar os talentos que se destacaram para a entrevista.

Leve em consideração os seguintes pontos:

Escolaridade

A escolaridade costuma ser o primeiro critério considerado. É a informação mais fácil de ser recolhida e analisada, servindo como primeiro ponto na fase de corte.

Experiência profissional

Normalmente, é exigido um determinado período de experiência profissional do candidato para preencher a vaga. Neste caso, além de analisar o tempo trabalhado, também é avaliada a trajetória profissional, onde trabalhou, qual cargo exerceu e, dependendo do caso, quais recomendações possui.

Nessa fase, o profissional pode ser questionado sobre seu relacionamento com seus colegas de trabalho e superiores e/ou liderados.

Traços de personalidade

Os traços de personalidade, ou soft skills, precisam ser entendidas como características relevantes do candidato na avaliação. Esse critério, muitas vezes, é utilizado como critério de desempate. 

Afinal, o profissional não necessita apenas de capacitação técnica, mas também de diversas atribuições que sirvam para contribuir com o ambiente de trabalho e a empresa como um todo, seja trabalhar em equipe ou ter boa comunicação, por exemplo.

6 dicas para uma triagem de currículos mais efetiva

A triagem de currículos precisa de uma estratégia de aplicação assertiva para ser realizada com sucesso. A seguir, você encontrará 6 passos para tornar o seu processo de recrutamento e seleção ainda melhor:

1. Identifique a necessidade atual da empresa

Para um cargo ou função específica, é necessário buscar candidatos para preencher essa posição, caso haja real necessidade na empresa.

Aqui é necessário que haja foco da equipe de RH para não deixar que outros processos seletivos secundários atrapalhem o atual recrutamento. Dessa forma, o time de recrutadores consegue otimizar o tempo de cada etapa da seleção, além de economizar recursos.

2. Crie o perfil ideal para preencher a vaga

É importante que o recrutador tenha em mente a pessoa perfeita para a vaga oferecida. Dessa forma, é possível estabelecer as características, conhecimentos, competências, formação, experiências e até mesmo o perfil comportamental, criando uma persona para aquele processo de seleção.

Essa persona será utilizada como base para otimizar a triagem de currículo, servindo como um perfil “gabarito”, facilitando a análise dos candidatos.

Cargos como de recepcionista, por exemplo, são normalmente destinados a pessoas que procuram o seu primeiro emprego no mercado de trabalho. Já ofícios como de um engenheiro, exigem maior experiência no cargo, além de especializações adicionais.

Tornar o recrutamento mais específico também o torna mais dinâmico e assertivo, avaliando apenas os candidatos mais qualificados e dentro dos padrões exigidos pela organização.

3. Liste as exigências mínimas

Ao criar o perfil ideal de candidato, é normal que a empresa aguarde a chegada do talento perfeito para o cargo. Porém, pode ser que esse candidato nunca chegue.

Neste caso, é importante listar as exigências mínimas, atribuindo os pré-requisitos básicos, classificando o candidato como apto ou não.

Após a primeira análise para segmentar os candidatos mais adequados para vaga, é necessário avaliar outros tópicos importantes, como: objetivo profissional, experiência, formação acadêmica e competências.

Dessa maneira, é possível reunir todas essas informações para desenvolver um   filtro inicial mais abrangente, descartando os que não atendem às principais exigências para reduzir o número de avaliações.

4. Padronize a triagem de currículo

Após identificar a necessidade da empresa, abrir uma vaga e estabelecer o perfil ideal do colaborador ideal e listar as exigências mínimas para a contratação, o próximo passo é a triagem dos currículos de fato.

Para essa etapa, é necessário ter cautela para não perder candidatos qualificados. Um dos pontos mais importantes é avaliar se o processo possui um padrão de execução.

É importante definir um método único para que seus profissionais de RH trabalhem de forma conjunta. Isso diminui as chances de erros e interferências na comunicação interna do setor de Recursos Humanos.

Para aplicar essa padronização no seu time de recrutamento, pode ser criado um roteiro detalhado com cada etapa do processo, para que todos analisem os currículos seguindo a mesma ordem e método.

Além disso, para auxiliar no processo, é possível organizar todos os documentos em um só lugar, padronizando a forma e o local de armazenagem, facilitando o gerenciamento e a triagem para os recrutadores.

5. Dê preferência para currículos claros e objetivos

Um currículo deve ter no máximo duas páginas. Partindo desse ponto, podemos definir que é necessário que os candidatos sejam diretos em suas descrições de perfil.

Currículos que possuem muitas informações irrelevantes, normalmente são mal vistos pelos recrutadores, pois, em sua maioria, tentam encobrir ausências e requisitos não atendidos.

Quando o candidato é objetivo, abre a possibilidade do recrutador se atentar para as informações mais específicas e relevantes, otimizando o tempo e criando mais chances de ter uma avaliação positiva.

Cuidar desses detalhes pode ser um diferencial para o candidato, demonstrando foco e transparência, além de, através do currículo, focar na área de atuação e nas competências, que são os pontos considerados mais importantes no processo de seleção.

6. Conte com a ajuda da tecnologia e de empresas especializadas

Ao contrário do que muitos profissionais dizem, as empresas especializadas e os softwares não servem para substituí-los. Ao contrário disso, eles auxiliam nas atividades, otimizando o tempo e aumentando a efetividade da equipe.

Os softwares são essenciais para centralizar e organizar as informações, além de realizar triagens de forma automática. Neste caso, ao utilizar uma ferramenta de recrutamento, o profissional de RH ganha tempo para traçar outras estratégias e realizar outras atividades de acordo com a demanda da empresa.

A importância dos Softwares de Recrutamento e Seleção

O mercado de trabalho tem exigido das empresas cada vez mais agilidade das empresas para preencher o quadro de funcionários com profissionais realmente qualificados. Seja para um novo cargo ou para substituir algum ex-colaborador, os recrutadores precisam executar o processo de recrutamento e seleção com qualidade e eficiência.

Ainda hoje, é comum encontrar empresas que apostam nos processos manuais, desde a forma de divulgar a vaga até o processo de recrutar e admitir o candidato.

Porém, ao longo dos anos, o recrutamento e seleção de novos colaboradores passou por mudanças com o objetivo de tornar o processo mais efetivo. O setor busca agora alcançar pessoas virtualmente, seja por meio das redes sociais ou sites de emprego, melhorando o desempenho dos profissionais de RH, gerando resultados de forma mais ágil.

Neste caso, o processo seletivo pode ser realizado através de softwares, possibilitando a integração com sites de vagas e com as redes sociais, oferecendo total gerenciamento sobre cada etapa, divulgação das vagas, o armazenamento centralizado e a triagem efetiva dos currículos para então, classificar os melhores perfis.

Essas vantagens são possíveis, pois os softwares reúnem todas as informações, formando um banco de dados com os talentos e as características de cada um de forma segmentada.

Por fim, o software de recrutamento possibilita o uso de filtros com base nos critérios estabelecidos pela empresa, além do envio de mensagens personalizadas para vários candidatos de uma só vez, garantindo feedback para todos.

Para experimentar na prática as vantagens de um software de recrutamento e seleção, clique aqui e saiba mais sobre o software JobConvo!

 

Sobre o autor

JobConvo

A JobConvo foi desenvolvida para crescer com a sua empresa – fornecendo os recursos e a flexibilidade de que você precisa em cada estágio. Se a sua empresa possui 1 ou 10.000 funcionários, pode contar conosco. Atualmente nossas soluções abrangem plataforma de Gestão para Processos de Recrutamento e Seleção e admissão digital, onde você pode gerir todo o processo com um sistema com inteligência artificial.

Sobre a JobConvo

Plataforma Líder em Gestão para Processos de Recrutamento e Seleção

  • Crie requisições;
  • Personalize e automatize as etapas dos processos;
  • Compartilhe as vagas em diversos canais;
  • Aplique testes técnicos;
  • Faça o Fit Cultural e a tendência de comportamento dos candidatos;
  • Analise as vídeo entrevistas;
  • Compartilhe os finalistas com gestores;
  • Analise os relatórios;
  • Faça a admissão digital.

Saiba mais